Sábado, 9 de Janeiro de 2010
Valorizo...

 

“Valorizo todos os amores... mas de entre todos o que mais vale... é o amor próprio...

Ele foi o meu primeiro e será o meu último amor...

Valorizo a vida como se a morte fosse um começo.

Valorizo os sonhos como se fossem estratégias.

Valorizo o hoje porque o amanha é incerto demais para ficar à espera...

Valorizo as minhas vontades porque aquele que não luta pelo que quer, não merece o que deseja, e aquele que não sabe o que quer, não merece o que tem...

Valorizo um olhar como se os olhos fossem reflexos da alma, mas nem sempre confio, pois já me enganei algumas vezes...

Valorizo atitudes como se as palavras não fizessem tanta diferença...

Valorizo um verdadeiro amigo porque sei que ele sempre me entenderá...

Valorizo os momentos que surgem do acaso como se soubessem que vou sempre lembrar-me deles...

Valorizo os obstáculos porque sei que vida os traz como forma de amadurecimento...

Valorizo o sol porque sei que é difícil estar sempre no lugar certo, na hora certa...

Valorizo o tempo como se soubesse que um segundo pode mudar o mundo...

Valorizo mais uma vez o tempo porque ele é a única coisa que eu não posso dizer que tenho.”

 

 Se a cama ainda não vos recolheu, se os lençois ainda não vos aquecem, se as almofadas ainda não vos aconchegam e antes que o sono vos embale, deixo o meu desejo sincero de uma noite tranquila e de um fim de semana sereno, feliz e quentinho.

 



publicado por Sheila às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Domingo, 15 de Novembro de 2009
Canteiros da Vida

 

 

Ao nascer, recebemos um jardim para cuidar, já com muitas sementes, que nos cabe apenas regar, cuidando com carinho de cada canteiro.

 

No Canteiro do Amor, nascem os mais belos sentimentos, como a solidariedade, o afecto, a ternura e uma linda flor vermelha, chamada de paixão.

 

No Canteiro da Esperança, nascem os sonhos, a perseverança, os desejos da alma, que bem regados, rendem muitos frutos, chamados de "realizações".

 

No Canteiro da Alegria, flores lindas que sorriem para a vida, são conhecidas como "motivação", "boa vontade" e "persistência", sendo fundamentais para a continuidade do nosso jardim.

 

Mais ao fundo, um canteiro impressiona pela altura das flores, é o Canteiro da Fé, regado com orações e atitudes regeneradoras,  sobem até o céu, e muitas das flores tocam os pés dos anjos, que tudo ouvem nas nossas plantações.

 

Muitos cuidam do canteiro com trabalho incessante, vigiando os pensamentos, regando constantemente o amor, a alegria e a esperança, sempre com desejo sincero de mudar para melhor.

 

Assim, as flores crescem sempre fortes, lindas e mesmo diante das tempestades, próprias da vida, resistem ao tempo e às dificuldades, tornando-se cada vez mais belas. Outros, um pouco menos cuidadosos, perdem-se em lamentações, gastando o precioso tempo em divagações.

 

Pensam nas plantas que poderiam ter e não tem, naquelas que já tiveram e perderam, nas belas plantas do vizinho, e vão se descuidando do jardim, deixando as ervas daninhas tomarem conta dos canteiros.

 

Assim, plantas destruidoras como o ódio, a inveja, a calúnia, a preguiça, o desrespeito entre outras pragas, vão tomando o lugar das flores da vida, das sementes que recebemos ao nascer, e vamos nos tornando pessoas amargas, insensíveis, amarguradas, tristes e doentes.

 

O jardim da vida são os nossos pensamentos, o regador dos seus sentimentos e a semente, a fé.

 

O jardineiro é cada um de nós, a terra, a própria vida, a água , fonte de toda a vida, que espera que o seu jardim não seja apenas florido, mas que dele nasçam frutos perenes, e que um dia, cada um vire semente eterna do bem.

 

Sendo assim, onde cada um de nós estiver vai atrair pássaros e vida, vai levar alegria e paz, conforto e esperança.

 

Sejamos cada um de nós, o próprio jardim, cuidando dos seus canteiros, regando todos os dias com amor, esperança e fé.

 

(texto base de Paulo Roberto Gaefke,

com algumas alterações minhas nos

três últimos parágrafos)

 



publicado por Sheila às 01:23
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009
Ser Feliz ou ter Razão?


Para reflexão...


Oito da noite, numa avenida movimentada.

O casal já está atrasado para  jantar na casa de uns amigos.

O endereço é novo e ela consultou no mapa  antes de sair.

Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na  próxima rua, à esquerda.

Ele tem certeza de que é à direita. Discutem.

Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida.

Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.

Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.

Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.

Mas ele ainda quer saber: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais...

E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz.

Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite!

Esta pequena história foi contada por uma empresária, durante uma palestra  sobre simplicidade no mundo do trabalho.

Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente, de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais frequência: 'Quero ser feliz ou ter razão?'

Outro pensamento parecido, diz o seguinte: 'Nunca se justifique.

Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam.

Eu já decidi... EU QUERO SER FELIZ e vocês?

 



publicado por Sheila às 09:43
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

Terça-feira, 21 de Julho de 2009
Reflexão

 

“(…) O que me inveja não são esses jovens, esses fintabolistas, todos cheios de vigor. O que eu invejo, doutor, é quando o jogador cai no chão e se enrola e rebola a exibir bem alto as suas queixas.

A dor dele faz parar o mundo!

Um mundo cheio de dores verdadeiras pára perante a dor falsa de um futebolista. As minhas mágoas que são tantas e tão verdadeiras e nenhum árbitro manda parar a vida para me atender, reboladinho que estou por dentro, rasteirado que fui pelos outros.

Se a vida fosse um relvado, quantos penalties eu já tinha marcado contra o destino? (…)”

(Mia Couto, in O Fio das Missangas)

 



publicado por Sheila às 12:42
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito

* mais sobre mim
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* Valorizo...

* Canteiros da Vida

* Ser Feliz ou ter Razão?

* Reflexão

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* Doces Miminhos
* pesquisar
 
* Doces Visitas (desde 9 MAR 2009)
Hit Counter
* Playlist


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

* Time



More Cool Stuff At POQbum.com

* Contador de Doces Refugiados
free counters
eXTReMe Tracker
* Doces Refugiados (desde 3 ABR 2009)
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!