Quinta-feira, 4 de Junho de 2009
A Generosidade

 

 

A generosidade é uma qualidade que está a cair em desuso. Cada vez mais as pessoas raramente dão alguma coisa sem esperar nada em troca.

Confesso que nunca gostei da fábula “da cigarra e da formiga” de Jean de la Fontaine, e em pequena sempre tive a ideia que a formiga exagerava na sua labuta. Olhando hoje para a fábula, considero que a sua moral até é bastante actual, pois retrata uma certa avareza e mesquinhez presentes nas sociedades ocidentais do século XXI. Sem dúvida que nos devemos precaver para o futuro, não gastar o que temos e o que não temos, i.e. que devemos poupar hoje para futuros problemas que possam surgir, mas também não é preciso fazer disso cavalo de batalha e esquecer que o resto do mundo existe, até porque é meio caminho andado para não se viver plenamente o presente!

A generosidade está intimamente ligada à compaixão, algo bem diferente da piedade costumeira. Compaixão é estar atento aos problemas e ao sofrimento dos outros e estar disponível para ajudar, encontrar soluções. Piedade é fingir que se lamenta, às vezes, até se dando uma moedita, e depois segue-se em frente sem nunca mais se lembrar do sucedido.

As pessoas generosas têm disponibilidade efectiva e afectiva. Mesmo carregadas de problemas, de tarefas por fazer, arranjam sempre um tempinho para ouvir, fazem o possível e o impossível para estarem presentes, abdicando até, por vezes, de coisas suas.

Generosidade não é sinónimo de prenda. Há quem encha os outros de coisas, compensando a falta de afecto com prendas caras. Não é preciso comprar nada a quem precisa de amor. Por vezes basta apenas a simples presença, o acompanhamento, um par de ouvidos atentos, um sorriso, um olhar ou um abraço sentido.

Uma pessoa generosa está atenta a quem anda descalço e é capaz de dar um par de sapatos novos que tem no armário; repara que alguém passa fome e vai à despensa para ver o que pode dar. Uma pessoa generosa dá sem esperar retribuição. Sabe que há quem nunca tenha hipótese de devolver a ajuda e que outros simplesmente esquecerão depressa quem lhes deu a mão. Dá mesmo assim, porque é da sua natureza partilhar.

A generosidade alimenta-se do afecto e do amor porque quem ama dá mais do que recebe, em qualquer circunstância…

 



publicado por Sheila às 13:32
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito

* mais sobre mim
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* A Generosidade

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* pesquisar