Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010
E se...

 

E se te transformasses em pássaro?

Eu tranformava-me em céu, um vasto céu azul, com nuvens de fogo

nas pontas e sulcos de pétalas no centro; um fulgurante azul celeste

criado só para ver todo o fascínio do teu irromper.

 

E se te transformasses em água?

Eu transformava-me em fonte, ou talvez numa nascente, que a ânsia

de ver-te inundasse e nas paisagens que te vou escrevendo a minha

sede abrandasse.

 

E se te transformasses em estrela?

Uma imponente estrela de espuma com brilho de lava e gestos de

vento? Eu transformava-me em sombra, uma sombra incandescente,

onde tu: pássaro, água ou estrela, pudesses andar e na varanda de

minha espera, devagarinho, viesses pousar.

 

                                                                                    Victor Oliveira Mateus

                                                                                    In "Col. afectos: Amor", Labirinto

 

 E com este texto belissimo vos deixo. É 6ªfeira e após publicar este post estou oficialmente de fim de semana! Divirtam-se! Beijinhos Doces

 



publicado por Sheila às 17:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2010
Completude

 

“Na véspera de ti

eu era pouca

e sem

sintaxe

eu era um quase

uma parte

sem outra

um hiato

de mim.

 

No agora de ti

aconteço

tecida em ponto

cheio

um texto

com entrelinhas

e recheio:

 

um preciso corpo

um bastante sim.”

 

Maria Ester Maciel / Amor

 

 Arrepiante de tão lindo que é este trecho!

        Boa Semana!

 



publicado por Sheila às 13:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2010
Jogo de espelhos sem espelhos...

 

 

Gosto dos espelhos que me trazem o mundo de uma forma diferente, porque o mundo ao espelho é o oposto do mundo real.

Os espelhos têm a faculdade de nos devolver a imagem.

Gosto dos espelhos que me traduzem os sentidos e que me levam a ver aquilo que não vejo, apenas aquilo que sinto.

Gosto quando o espelho me devolve o meu rosto espontâneo, quando os meus olhos expressam um misto de combustão de desejos e ternuras.

No entanto um espelho não consegue reflectir a alma, e é a alma que nos distingue dos reflectidos...

Ao espelho não te vejo.

No escuro espelho-te.

Na luz desejo-te.

No infinito amo-te.

Tu és o meu espelho porque não me reflectes.

Tu és o meu espelho porque quando olho para ti só te vejo a ti.

Isto é tudo um jogo de espelhos sem espelhos, porque só assim é que pode ser jogo.

 



publicado por Sheila às 00:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010
ABC - O Filtro de um Olhar

(o meu olhar...)

 

É vulgar ouvirmos dizer que os nossos olhos são o espelho da nossa alma.

Na maior parte das vezes são eles que mostram o nosso estado de espírito.

Se há coisa que gosto é olhar olhos nos olhos e captar esse estado de espírito presente nos nossos olhos e que filtra a informação on real time, traduzindo a realidade em sensações diferentes em cada momento.

É curioso perceber como tantas vezes vemos apenas o que queremos ver ou que noutras ocasiões conseguimos ver mais do que realmente existe, em que a percepção de sentimentos é que é real. Pelo olhar apreendemos apenas uma imagem da realidade perante nós e por isso é tantas vezes somente aquilo que queremos ver. É como se tivéssemos um filtro, que nos apresenta aquilo que temos perante nós de acordo com as suas características. Um filtro formado pelo nosso estado de espírito, pelas nossas expectativas, sonhos e medos.

 

Um simples olhar pode transmitir-nos uma imensidão de sentimentos, de sensações, de cores e energias, de ânimo e desânimo e alterar completamente o nosso estado de espírito. O mesmo passamos aos outros através do nosso olhar.

 

O filtro do nosso olhar e o que o olhar dos outros nos transmite pode tantas vezes ajudar-nos a encontrar formas de conseguir ver o mundo em redor com mais cor e energia. Temos que estar atentos às oportunidades em conseguirmos estabelecer em nós um filtro visual e de alma colorida e alegre...

 

     ABC dos filtros que um olhar me pode transmitir...

 

     A – olhar Alegre, Apaixonado, Afectuoso, Apreensivo

     B- olhar Banal, Benevolente

     C – olhar Curioso, Cúmplice, Carinhoso

     D – olhar Desgastado, Desiludido

     E – olhar Embevecido, Electrizante, Egoísta

     F – olhar Forte, Feliz, Familiar

     G – olhar Guloso

     H – olhar Humilde, humilhante

     I – olhar Intelectual, Inspirador, Indiferente

     J – olhar Justo

     L – olha Luminoso, Leal

    M – olhar Magoado, Maroto, Melancólico

    N – olhar Natural, negativo

    O – olhar Optimista, Orgulhoso, de Ódio

     P – olhar Pessimista, Parado, Penetrante

    Q – olhar Quieto, Querido

    R – olhar Receoso, Reprovador, Risonho

    S – olhar Sedutor, Sincero, Sonolento

    T – olhar Triste, Terno

    U – olhar Único

    V – olhar Vaidoso

    X – olhar Xenófobo

    Z – olhar Zangado

 

  E hoje...  Qual é o vosso olhar?

 

 



publicado por Sheila às 00:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2010
ABC das Palavras Proibidas

 

Abro a página das minhas vivências e descubro palavras que proíbo que façam parte do livro da minha existência. Uma conversa telefónica e uma palavra* despoletaram este sentimento e esta necessidade crítica de identificá-las uma a uma. Um exercício mental difícil, uma análise de muitas situações criticas e negativas e que levam à escolha de cada palavra, num ABC de Palavras Proibitivas de uma existência saudável e feliz.

 

O meu ABC de Palavras Proibidas

 

A de antipatia, de avareza

B de burrice, de broncos

C de conformismo*, de ciúme

D de despotismo, de desistência, de derrota, de desconfiança

E de egoísmo, de estupidez

F de futilidade, de fraqueza

G de guerrinhas, de gabarolice

H de humilhação, de histerismos, de hipocrisias

I de indiferença, intolerância

J de joguinhos baixos

L de Lamúrias, de lamentações

M de mesmices, de mesquinhez, de mentiras, de mediocridade

N de narcisismos, de negativismo

O de ódios de estimação, de obrigação, de ostentação

P de prepotência, de pena, de pontas soltas, de pessimismo

Q de quebra, de (pessoas) quadradas

R de rivalidades, racismo, repetição de situações

S de show offs, de sonsices

T de tirania, traição

U de ultraje, de ultimato

V de venenoso, de vergonha

X de xenofobia, de xingar

Z de zero à esquerda

 



publicado por Sheila às 01:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010
Reflexão

 

 

 

 



publicado por Sheila às 00:41
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2010
Dois Remos...

 

 

Um viajante ia caminhando pelas margens de um grande rio.

O seu objectivo era chegar à outra margem.

Suspirou profundamente enquanto tentava fixar o olhar no horizonte.

A voz de um homem de idade, um barqueiro, quebrou o silêncio, oferecendo-se para transportá-lo.

O pequeno barco envelhecido era provido de dois remos de carvalho.

Logo os seus olhos perceberam o que pareciam ser letras em cada remo.

Ao colocar os pés dentro do barco o viajante observou que eram duas palavras. Num dos remos estava escrito Acreditar e no outro Agir.

Curioso, o viajante perguntou a razão daquelas palavras nos remos.

O barqueiro então pegou no remo chamado Acreditar e começou a remar. O barco começou a dar voltas sem sair do lugar em que estava. Em seguida, pegou no remo chamado Agir e começou a remar. Novamente o barco girou em sentido oposto, sem ir adiante.

Finalmente o velho barqueiro, segurando nos dois remos, remou com eles simultaneamente, e o barco, então, impulsionado por ambos os lados, navegou através das águas, chegando ao outro lado do rio.

Então, o barqueiro disse ao viajante:

— Este porto chama-se autoconfiança. É preciso Acreditar e também Agir para que possamos alcançá-lo.

 

... Continuação de boa semana!

 

E Paz às vitimas do Haiti e Coragem aos que sobreviveram e perderam entes queridos.

 



publicado por Sheila às 22:49
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010
Triste é não sentir nada...

 

 

É possível entristecermo-nos por vários motivos ou por nenhum motivo aparente.

A tristeza pode ser por nós mesmos, pode vir de uma palavra ou de um gesto ou de uma dada situação. Quando ela aparece devemos esforçarmo-nos para recebê-la.

 

A tristeza não faz realmente bem à saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando silenciamos que melhor conversamos connosco próprios. E dessa conversa saiam lições, sinais, forças inesperadas, e a tristeza acaba também por sair, dando espaço a uma alegria nova e revitalizada. A tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma.

 

Hoje acordei desmotivada, foi difícil sair da cama mesmo sabendo que um ténue sol se exibia lá fora e convidava-me a viver mais um dia. Hoje acordei desmotivada, foi com algum esforço que cumpri os rituais de sempre. Hoje não foi um dia como os outros, não encontrei energia nem para me sentir culpada pelo meu desanimo. A minha voz interior bem grita “anima-te!”... O meu subconsciente bem que me sussurra “- há muita gente que vive coisas graves”... mas a pouca energia desta manhã lá me empurrou a voltar a ser aquela que sempre fui... e a enfrentar a velha guerra de sempre, apesar do cansaço acumulado.

 

A verdade é que eu não acordei triste, mas assim fiquei durante o dia.

Apesar de triste, tudo está normal. Afinal ficar triste é um sentimento tão legítimo como ficar alegre. É um registo da nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido.  Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem uma razão aparente, embora no meu caso, eu saiba bem a razão. As razões têm essa mania de serem discretas.

 

Há dias em que a tristeza aparece e não há medicamentos mágicos para camuflar a nossa introspecção e desanimo.

 

Mas se pensarmos bem, até que pode existir uma alegria inesperada na tristeza, e que vem do facto de ainda conseguirmos senti-la.. Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Sentir é um retiro. O sentir não pode ser escutado, apenas auscultado, e às vezes é bom sermos o nosso médico de serviço.

 

Sentir é um verbo que se conjuga para dentro ao contrário do fazer, que é conjugado para fora. A vida assenta nesta dualidade entre o sentir e o fazer.

 

Inicio aqui uma nova etapa da minha vida. Estou cansada de sentir que devia ter feito isto ou aquilo e hoje é o dia que impulsiona a mudança e a minha força no combate ao cansaço de muitas repetições que me magoam, me afectam e me deixam triste.

 

Vou refazer o meu Curriculum, redireccionar a minha tristeza no sentido de alcançar uma alegria nova e revitalizada. É disto que estou a precisar para que amanhã ao sair da cama possa ser eu a gritar à minha voz interior: “estou animada... e vou conseguir!”

 

Desejo-vos uma doce semana!

 



publicado por Sheila às 23:52
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Sábado, 9 de Janeiro de 2010
Valorizo...

 

“Valorizo todos os amores... mas de entre todos o que mais vale... é o amor próprio...

Ele foi o meu primeiro e será o meu último amor...

Valorizo a vida como se a morte fosse um começo.

Valorizo os sonhos como se fossem estratégias.

Valorizo o hoje porque o amanha é incerto demais para ficar à espera...

Valorizo as minhas vontades porque aquele que não luta pelo que quer, não merece o que deseja, e aquele que não sabe o que quer, não merece o que tem...

Valorizo um olhar como se os olhos fossem reflexos da alma, mas nem sempre confio, pois já me enganei algumas vezes...

Valorizo atitudes como se as palavras não fizessem tanta diferença...

Valorizo um verdadeiro amigo porque sei que ele sempre me entenderá...

Valorizo os momentos que surgem do acaso como se soubessem que vou sempre lembrar-me deles...

Valorizo os obstáculos porque sei que vida os traz como forma de amadurecimento...

Valorizo o sol porque sei que é difícil estar sempre no lugar certo, na hora certa...

Valorizo o tempo como se soubesse que um segundo pode mudar o mundo...

Valorizo mais uma vez o tempo porque ele é a única coisa que eu não posso dizer que tenho.”

 

 Se a cama ainda não vos recolheu, se os lençois ainda não vos aquecem, se as almofadas ainda não vos aconchegam e antes que o sono vos embale, deixo o meu desejo sincero de uma noite tranquila e de um fim de semana sereno, feliz e quentinho.

 



publicado por Sheila às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2010
Autor da Vida

 

"Vai...

deixa de tristezas e deixa o sonho te levantar, acredita que é possível ainda hoje uma viragem, acredita que tudo foi apenas um engano, mantém a rota do teu barco da vida, não desistas novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe...

Amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela é a tua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor, o responsável pela obra serás sempre tu!

Haja o que houver, aconteça o que acontecer, o pincel que mistura as cores, que dá forma ao que vai surgir na tela, que cria e apaga situações e imagens, ainda está na tua mão.

És tu quem pode criar agora, uma estrada florida ou o caminho escuro das incertezas e dúvidas.

Já que tu és o autor,  o pintor dessa tela chamada vida, começa por pintar um sorriso, que é o sinal que representa a esperança, a renovação, símbolo dos que não desistem nunca de serem felizes, e ser feliz exige criatividade, esforço e dedicação.

Se tudo deu errado até aqui, passa tinta branca em toda a tela e recomeça, hoje é o dia perfeito para uma nova pintura..."

 

 VOU sim...

 

é isto que vou querer manter bem presente, um dia de cada vez e ao longo dos próximos meses!

 

Boa semana :)

 



publicado por Sheila às 23:20
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Domingo, 20 de Dezembro de 2009
Momentos de Natal... passado... presente... recordações

Não me canso de dizer que a vida é feita de momentos...

Tenho andado ausente e tenho imensa pena, mas esta última semana foi para esquecer.

O ritmo tem sido alucinante... demasiado trabalho, demasiadas horas na empresa e pela noite dentro, e demasiado stress no cumprimento de deadlines... Ando numa ansiedade (quase infantil) para que chegue o Natal... a Inês também mas por outros motivos completamente diferentes lol. Anseio sobretudo por fazer uma paragem de ritmo, de reunir a família e os amigos, de esquecer por uns dias a desmotivação que tenho sentido a nível profissional..  Optimismo é obrigatório! Mesmo!

Como sou bem disposta por natureza e em jeito de época de Natal aqui deixo momentos especiais. Uns pertencentes a um passado mais longínquo, outros mais recentes, mas todos reflexo de boa disposição, sintonia e alegria partilhada.

 

 

Natal de 2003 - A Inês ia a caminho dos 2 aninhos e neste Natal deu as chupetas ao Pai Natal... eu ainda "jogava" na equipa dos (v)intes! Saudades...

 

 

 

Natal 2008 - a Inês não tinha os dentes da frente LOL

 

 

 

 

 

Natal 2009 - a Inês cada vez mais crescida e eu a ficar mais velha lol

 

E para terminar nós...

 

 

 

... desejamos a todos um Feliz Natal, com muita saúde, bem estar familiar, harmonia, tranquilidade, amor e amizade...

e que no vosso sapatinho encontrem o que mais desejem.

Beijinhos Doces

 

 



publicado por Sheila às 02:13
link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito

Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009
Pérolas para a minha filha (2)

 

A minha noite de Natal

 

"Eu vi um boneco de neve que falava e eu perguntei:

- Tu falas?

- Sim, eu falo.

- Queres ir passear comigo?

O boneco de neve não ia desistir do passeio. Ao longo da viagem começou a ficar sol e o boneco de neve começou a derreter e eu comecei a ficar cada vez mais triste e mais triste e ouvi o Pai Natal e ele disse:

- Não chores Inês, para o ano fazes mais um.

Eu cheguei a casa e a minha mãe perguntou:

- Onde estiveste?

- Estive a passear no parque mãe. Podemos abrir as prendas?

- Sim podemos, a minha prenda está escondida na cozinha, vai procurar.

De repente bateram à porta e eu ouvi hohoho.

- Olha é o Pai Natal! O Pai Natal disse:

- Olá Inês, tu estás boa?

- Sim, estou. Toma é para ti Inês

- Eu também tenho uma coisa para ti Pai Natal"

 

Inês Ventura em 15/12/2009

Ontem já cheguei tardíssimo a casa, e quando a minha filha me diz que trazia trabalhos de casa... AIII... afinal entra de férias já esta 6ªf e ainda há trabalhos de casa... brrrr lol

O trabalho era escrever uma história sobre o Natal... e este  foi o texto com que a minha filha me presenteou. Digam lá que não está Brutal para uma menina de 7 anos e que fez sozinha!

Lindo!

Eu diria que tem futuro! :)

 

PS: Lembram-se deste desenho? Acabou por ficar em 2º lugar com uma diferença de 4 votos do primeiro lugar.  Acho que ainda não vos tinha dito :)

 



publicado por Sheila às 16:59
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

Domingo, 13 de Dezembro de 2009
Sinais da Vida...

 

Hoje e enquanto ajudava a minha filha a fazer os trabalhos de casa, achei engraçada a dúvida dela em relação à seguinte questão: Os sinais de trânsito são importantes? Porquê?

 

Na estrada, assim como na vida somos regularmente confrontados com sinais ao longo do nosso percurso. São avisos que vão surgindo para que tenhamos atenção e tomemos decisões. Uns são informativos mas também podem indicar perigo ou proibição.

 

Se na estrada as regras e sinais são bem conhecidos e por isso a sua interpretação é simples, já na vida não existe nenhum código que nos decifre os sinais e por isso cabe a cada um de nós tentar ler ou estar bem atento ao que esses sinais podem significar...

 

Atender aos sinais da vida é uma decisão individual porque o seu significado resulta de uma leitura pessoal. Não existem multas nem penas como acontece na estrada mas continuam a existir riscos para o caso de não lhes darmos a importância certa. Sejam eles pequenos ou grandes, os riscos são quase sempre difíceis de antecipar e só mesmo a vida nos pode vir mostrar o verdadeiro sentido de cada um deles com o passar do tempo.

 

Há que permanecer alerta para os sinais mas sem viver obcecado por eles.

Há que deixar a vida fluir mas sem desprezar os sinais.

Há que os interpretar mas sem entrar em excessos enganadores.

Há que viver e ao mesmo tempo saber conviver com os sinais.

 

Na estrada da minha vida os sinais que me forem aparecendo serão sempre informativos dos comportamento e regras pessoais a seguir nas rectas ou curvas que me aparecerem ao longo de cada percurso...

 

Desejo-vos uma Excelente Semana!

 



publicado por Sheila às 23:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 11 de Dezembro de 2009
Traço a traço... fazemos Laços

Os livros são importantes, para quem os lê e para quem os faz. Através deles, o autor oferece-nos uma visão de si  mesmo e do seu mundo e neles, podemos encontrar um lugar para nós próprios, uma imprevisível riqueza que passa a ser património cultural e afectivo de cada um de nós.

 

Para as crianças fazer um livro é apropriar-se de uma parte importante da nossa cultura, é participar num mundo maior, é compreender que aquilo que se pensa ou diz pode ser escrito, ilustrado, composto graficamente, impresso e devolvido à comunidade, deixando um legado às gerações futuras.

 

"Traço a traço... fazemos Laços"

 

Este é o livro que foi lançado hoje pela Fundação Bissaya Barreto. Um livro fruto do projecto "Um Ilustrador na Escola", que é o resultado de um projecto de aprendizagem lúdica que transformou as crianças em ilustradoras das histórias que para elas escreveram autores consagrados.

 

 

Este livro torna-se mais especial

quando uma das ilustradores foi a minha princesa Inês.

Aqui está ela na sessão de autógrafos lol

 

Hoje foi dia de lançamento!

Um final de dia lindo, em que o meu orgulho como mãe

e a emoção falaram bem alto.

 

De entre as cinco história, em forma de conto, que compõem esta obra, deixo-vos este texto da autoria de José Jorge Letria, e que é lindissimo!

 

"A Felicidade veste-se de azul

para abraçar a doce claridade das manhãs

e depois convida os meninos

para se juntarem numa doce canção de roda.

Enquanto cantam,

vão nascendo asas nas palavras

e fios de luz no corpo da melodia.

A Felicidade não gosta de ter pressa,

porque não tem comboios para apanhar,

nem aviões a chamarem por ela.

Gosta de se demorar junto de quem ama.

Só assim é capaz de sentir feliz.

Sim porque a Felicidade

tem mesmo de ser feliz.

Quando o dia finda, a Felicidade

abre a porta da noite, devagarinho,

e aninha-se dentro do sono para que todos

os meninos possam dormir tranquilos

até que o sol chegue e lhes diga

que nasceu mais uma manhã feliz

e tão mansa e azul como a alegria

esvoaçante das andorinhas"

 

 

Momentos únicos, daqueles que nos ficam na retina, daqueles que temos a certeza que nunca vamos esquecer na vida. Momentos que não perdem o brilho passada a emoção, e que no momento vivido são mesmo únicos.

 



publicado por Sheila às 01:23
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2009
Percepção de solidão

 

Uma mulher entra no cinema, sozinha. Acomoda-se na última fila. Desliga o telemóvel e espera o início do filme. Enquanto isso, outra mulher entra na mesma sala e acomoda-se na quinta fila, sozinha também. O filme começa.

 

Charada: qual das duas está mais sozinha?

 

Só uma delas está realmente sozinha: a que não tem um amor, a que não está com a vida preenchida de afectos. Já a outra foi ao cinema sozinha, mas não está só, mesmo numa situação idêntica à da outra mulher. Ela tem uma família, ela tem alguém, ela tem um “álibi”.

 

Muitas mulheres já viveram isso - e homens também. Uma pessoa viaja sozinha, almoça sozinha em restaurantes, mas não se sente só porque é apenas uma contingência do momento - há alguém à sua espera em casa. Esta retaguarda alivia a sensação de solidão. Um pessoa está sozinha, mas não é sozinha!

 

Então de repente perde-se o amor e a sensação de solidão muda completamente. Uma pessoa pode continuar a fazer tudo o que fazia antes - sozinha - mas agora a solidão pesará como nunca pesou. Agora ela não é mais uma opção, é um fardo.

 

Isso não é nenhuma raridade, e acontece vezes demais. A nossa percepção de solidão infelizmente ainda depende do nosso status social. Quando se tem alguém,  encara-se a vida sem preconceitos, expõe-se sem se preocupar com o que pensam os outros, lida-se com a solidão com maturidade e bom humor. No entanto, se uma pessoa carrega o estigma de solitária, a sua solidão triplicará de tamanho, ela não será algo fácil de levar, como uma bolsa. Ela será uma cruz de chumbo. É como se todos pudessem ver as ausências que se carregam, como se todos apontassem na sua direcção: ela está sozinha no cinema por falta de companhia! Por que ninguém aponta para a outra, que está igualmente sozinha?

 

Porque ninguém está, de facto, apontando para nenhuma das duas. Quem aponta somos nós mesmos, para o nosso próprio umbigo. Somos nós que nos cobramos, somos nós que nos julgamos. Ninguém está sozinho quando curte a própria companhia, porém somos reféns das convenções, e quando estamos sós, a nossa solidão parece piscar uma luz vermelha chamando a atenção de todos. Relaxe. A solidão é invisível. Só é percebida por dentro.

 

Martha Medeiros

 

 



publicado por Sheila às 01:32
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

Terça-feira, 8 de Dezembro de 2009
ABC das minhas Rotinas...

 

A palavra rotina é uma daquelas palavras que assusta muito boa gente. Para mim a rotina é algo que, em certas coisas, me dá segurança e me faz sentir preenchida. Se aplicarmos a rotina a coisas, objectos ou situações acabamos por olhar para a palavra 'rotina' de uma forma completamente diferente lol.

Se não, vejamos: O início é a rotina do final, a escolha é a rotina do gosto, a rotina do espelho é o oposto. A rotina da mão é o toque, a rotina do perfume é a lembrança, a rotina da boca é o desejo e a batida é a rotina do coração.

 

ABC das minhas Rotinas

 

A de acordar, de almoçar, de água, de agenda, de amor e amizade, de aprender

B de boa disposição, de blog, de bolachas, de beijos

C de conduzir, de café, de chocolate, de cereais, de conversar,  de comer, de correr, de cozinhar, de cansaço

D de decisões, de despesas, de duches rápidos, de desejos, de dormir, de dúvidas, de desafios

E de escrever, de experiências, de emails, de escolhas, de emoções, de educar

F de fumar, de falar, de fotos, de familia

G de gargalhadas, de guloseimas, de gostar de viver

H de horas extra de trabalho,

I de iogurte liquido, de internet, de ideias

J de jantar, de jornais

L de livros, de lareira, de lembranças, de lugares

M de M&Ms ao lanche, de música, de msn, de mimar e de mimos

N de noticias, da natureza à minha volta, de namorar

O de olás matinais, de outlook, de ouvir determinadas músicas

P de pentear o cabelo, de papeis sobre a minha mesa, de perfumes, de prazeres mundanos, de planos futuros, de preocupações, de preguiças

Q de quebrar tarefas rotineiras, de quase tudo e quase nada

R de rir, de reuniões, de revistas, de roupas

S de semáforos, de sumol de ananás ao almoço, de sofá ao fim do dia, de skype, de sonhar, de stress, de saudades

T de trabalho, de telemóvel, de trânsito, de televisão , de tarefas, de troca de ideias

U de ultrapassar dificuldades

V de vicios bons, de vaidades

X de xixi (llooll)

Z de zelo, de zangas por vezes

 

A rotina do caminho é a direcção

A rotina do destino é a certeza

Toda a rotina tem a sua beleza!

 

Bom resto de semana

 

 

              ... fecha os olhos e adivinha... quanto é que eu gosto de ti....

 



publicado por Sheila às 23:57
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2009
Lição de Perseverança..

 

"A vida é cheia de términos e novos começos.

A cada curva há algo que nos desafia,

seja o novo, formidável, ou simplesmente o familiar.

O que para uns é uma montanha intransponível,

para outros um desafio a vencer.

O que se torna sombrio para alguns

ainda permanece iluminado para outros.

Os optimistas vêem o caminho à frente,

os pessimistas ficam tão ocupados

em olhar para trás que não conseguem

ver a solução bem diante deles.

Se ficarmos segurando a corda

que nos arrasta para trás

não teremos mãos livres

para agarrar a corda que nos

puxa para frente."

 

Já observaste a atitude dos pássaros diante das adversidades?

Ficam dias e dias fazendo o seu ninho, recolhendo materiais, às vezes trazidos de locais bem distantes... E quando já ele está pronto e estão preparados para pôr os ovos, as inclemências do tempo ou a acção do ser humano ou de algum animal destrói o que com tanto esforço se conseguiu...

O que faz o pássaro?

Pára, abandona a tarefa?

De maneira nenhuma. Começa, uma outra vez, até que no ninho apareçam os primeiros ovos. Muitas vezes, antes que nasçam os filhotes, um animal, uma criança, uma tormenta, volta a destruir o ninho, mas agora com seu precioso conteúdo...

Dói recomeçar do zero... Mas ainda assim o pássaro jamais emudece, nem retrocede, segue cantando e construindo, construindo e cantando...

 

Já sentiste que a tua vida, o teu trabalho, a tua família, os teus amigos não são o que sonhaste? Tens vontade de dizer basta, não vale a pena o esforço, isto é demasiado para mim?

Podes estar cansado de recomeçar, do desgaste da luta diária, da confiança traída, das metas não alcançadas quando estavas a ponto de conseguir? Mesmo que a vida te golpeie mais uma vez, o importante é que a vontade de continuar em frente prevaleça e para isso é necessário que sejas perseverante e fiel a tudo em que acreditas! 

A vida é um desafio constante, mas vale a pena aceitá-lo.

E sobretudo... mesmo em desafino há que continuar a cantar!

 



publicado por Sheila às 00:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009
Um sonho sobre uma vida de sonho!

 

Para bem do nosso equilibrio todos devemos ter a capacidade de sonhar.

Sonhar pode ser muito positivo, se isso nos permitir projectar a nossa vida de sonho pela qual desejamos lutar.

Podemos sonhar com uma vida diferente, uma vida de sonho que reflecte aquilo que queremos vir a ser.

Vida de sonho, não são os sonhos com castelos, príncipes e princesas, nem tão pouco são os sonhos de riqueza ou de beleza. Vida de sonho é simplesmente a vida com que ambicionamos, é aquilo que  queremos atingir por mais impossível que nos possa parecer. É bom quando vivemos intensamente a caminho da nossa vida de sonho em vez de viver apenas do sonho.

Importante não é simplesmente o sonho, mas sim a sua capacidade para nos motivar de forma a lutarmos por atingir esse sonho.

 

Este video que hoje aqui deixo, projecta-nos para um sonho. Sinceramente não é o meu tipo de vida de sonho... mas que nos projecta para um outro patamar...  não tenho qualquer dúvida :)

 

Enjoy this "aquatic dream" :)

 

 

http://www.why-yachts.com/#/Making%20of%20WHY%2058x38

(cliquem onde diz Making of WHY) 

 

Bom regresso ao trabalho... felizmente que vão ser só 3 dias e é de novo fim de semana comprido LOL. Difícil é re-ajustar o relógio biológico para voltar acordar cedo... ai ai

 



publicado por Sheila às 01:29
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito

Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009
Quem Ama Educa

 

(sintonia entre mãe e filha - Junho 2002)

 

Ao olharmos um navio no porto, imaginamos que ele esteja no seu lugar mais seguro, protegido por uma forte âncora. Mal sabemos que ali está em preparação, abastecimento e provisão para se lançar ao mar, ao destino para o qual foi criado, indo ao encontro das próprias aventuras e riscos. Dependendo do que a força da natureza lhe reserva, poderá ter que desviar da rota, traçar outros caminhos ou procurar outros portos. Certamente retornará fortalecido pela aprendizagem adquirida, mais enriquecido pelas diferentes culturas percorridas. E haverá muita gente no porto, feliz à sua espera.

 

Assim são os FILHOS.

 

Estes têm nos PAIS o seu porto seguro até que se tornem independentes. Por mais segurança, sentimentos de preservação e de manutenção que possam sentir junto aos seus pais, eles nasceram para singrar os mares da vida, correr os seus próprios riscos e viver as suas próprias aventuras.

Certo que levarão consigo os exemplos dos pais, o que eles aprenderam e os conhecimentos da escola, mas a principal provisão, além das materiais, estará no interior de cada um: A CAPACIDADE DE SER FELIZ.

Sabemos, no entanto, que não existe felicidade pronta, algo que se guarda num esconderijo para ser doada, transmitida a alguém.

 

O lugar mais seguro que o navio pode estar é o porto. Mas ele não foi feito para permanecer ali.

 

Os pais também pensam que sejam o porto seguro dos filhos, mas não podem esquecer-se do dever de prepará-los para navegar mar a dentro e encontrar o seu próprio lugar, onde se sintam seguros, certos de que deverão ser, em outro tempo, este porto para outros seres.

Ninguém pode traçar o destino dos filhos, mas deve estar consciente de que na bagagem devem levar VALORES herdados como: HUMILDADE,  HUMANIDADE, HONESTIDADE, DISCIPLINA, GRATIDÃO E GENEROSIDADE.

 

Filhos nascem dos pais, mas devem tornar-se CIDADÃOS DO MUNDO. Os pais podem querer o sorriso dos filhos, mas não podem sorrir por eles. Podem desejar e contribuir para a felicidade dos filhos, mas não podem ser felizes por eles.

 

A FELICIDADE CONSISTE EM TER UM IDEAL A BUSCAR E TER A CERTEZA DE ESTAR DANDO PASSOS FIRMES NO CAMINHO DA BUSCA.

 

Os pais não devem seguir os passos dos filhos e nem devem estes descansar no que os pais conquistaram.

 

Devem os filhos seguir de onde os pais chegaram, do seu porto, e, como os navios, partirem para as próprias conquistas e aventuras.

Mas, para isso, precisam ser preparados e amados, na certeza de que: “ QUEM AMA EDUCA ”.

 

Içami Tiba

 

 

E como os pais fazem o máximo pela felicidade dos filhos... qual o melhor programa para um dia de feriado, qual é? De preferência seria não ter hora para levantar... mas amanhã não me vai calhar essa sorte! A minha filha tem uma festa de anos às 10h da manhã (acho que vai ser mais às 11h... não sei porquê lol ... ). Custa um bocado... sim já aqui o disse e volto a dizer... adoro dormir e custa-me a um dia de feriado ter que levantar mais cedo!! Mas quando penso que a festinha é de uma coleguinha da creche, que a Inês já só vai vendo em festinhas, sinto que é fundamental não se perderem estes laços da infância, e que nem o facto de terem seguido para escolas diferentes irá conseguir quebrar estes elos, que nós Pais somos também responsáveis por manter!

 

Deixo o Desejo de um excelente dia de Feriado!

Nós vamos divertir-nos muito... lol

 

 (... a sintonia continua...)

 



publicado por Sheila às 01:44
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito

Sábado, 28 de Novembro de 2009
Esta tenho que partilhar...

Curiosamente fez hoje (6ª feira) um mês que fui à Peugeot levantar o novo SUV -  o  Peugeot 3008!

 

Curiosamente e em 30 dias que tenho circulado aqui por Coimbra, só na 4ª feira é que me cruzei com um carro igual ao meu noutra cor. Já sabia que a lista de espera para receber este carro está entre 3 a 5 meses... E um facto é que só há 2 dias atrás me cruzei com um "mano" do meu lolol

 

Pouco curiosamente hoje fui mandada encostar à berma... simplesmente porque o GNR que me fez sinal, viu o carro ao longe e como não o conhecia mandou-o encostar para o ver melhor de perto!!! ...

 

Encostei, abri o vidro, cumprimentei o Agente e de imediato digo-lhe que não tinha ainda documentos, mas apenas a declaração de circulação...

O GNR contorna o meu carro pela frente, olha de soslaio para o selo verde do seguro, volta atrás, detém-se em frente ao carro e aprecia-lhe a dianteira!

Uns segundos depois e já junto da minha porta diz-me:

 

- Nunca gostei muito da Peugeot, mas isto é "bicho!" Que tal se porta?

 

Com naturalidade apenas lhe disse - Uma máquina, um avião mesmo!

 

Volta analisar o carro, desta vez de traseira... depois regressa para o meu lado, analisa os pneus, as jantes, olha para o interior... faz-me mais umas perguntas e encerra com:

 

- E foi muito caro?

 

 

Terminamos a conversa... o GNR deseja-me boa sorte e felicidades

 

Arranco e durante uns segundos vou a pensar no insólito da situação!

Sim porque momentos depois dou-me conta que nem me pediu sequer qualquer identificação!  

 

... quase quase que podia ser um "insólitos yorn"... mas foi um "insólitos in real time!" para mais tarde recordar!

 

Há coisas giras... não há?

 



publicado por Sheila às 02:21
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

* mais sobre mim
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* Vida

* Ó tempo volta para trás.....

* Acima de tudo...

* Ritmos...

* Aprendizagens

* Vida

* Resta...

* Eureka!

* Silêncio Amoroso

* Vazio

* Ilusão mascarada...

* Se eu pudesse...

* Felicidade

* 1 Ano de Blog

* Caminhos

* Intuição

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* pesquisar