Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2011
Vida

 

A vida é uma constante procura...

 

... de conhecimento

... de motivação

... de objectivos

... de informação

... de afecto

... do nosso eu (por vezes)

... de algo novo

... de respostas (a muitos dos nossos anseios e dúvidas)

... de novos rumos

 

mas essencialmente...

 

... de amor, da alma gémea, da felicidade!

 

O melhor da vida é quando encontramos...

 

... e quando  a vida te dá o melhor que tem, não há mais nada que possas pedir!

 


tags:

publicado por Sheila às 16:30
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Quarta-feira, 3 de Novembro de 2010
Ó tempo volta para trás... :)

 

É um facto que todos entramos numa rotina diária de hábitos e comportamentos. Ouvimos tanta vez aquela expressão "A tradição já não é o que era" e por vezes temos situações, nessa rotina, em que esta expressão assenta que nem uma luva!

 

Há uns anos atrás ia levar a minha filha ao infantário, e embora não me possa queixar que fizesse birra, lembro-me dos beijinhos e abraços apertados na hora de deixá-la na sala de manhã. Os anos passam e do infantário passou para o 1º ciclo... nova habituação, novas rotinas, beijinhos e abraços na hora de deixa-la e de ir busca-la...

 

Nos dias de hoje há dias e dias... a rotina do beijinho e do abracinho parece-me ter os dias contados... Desde pequena que o nosso cumprimento é um beijinho na boca... de há uns dias para cá tem-me dado a face... e abracinhos népias!

 

Ultimamente tem me pedido que a deixe à entrada do edifício... e aqui pelo menos não mostra resistência ao muito "nosso beijinho" de despedida... diz ela que assim os colegas não gozam. Há uns dias disse-me que queria mudar de mochila porque os amigos gozam com a dela e dizem que é à bébé por ser cor de rosa! lol

 

Não sei porquê mas um dia destes está a pedir-me um blackberry ou um ipod...

 

Ó tempo volta pra trás!!! :)))

 


tags:

publicado por Sheila às 17:58
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

Domingo, 18 de Abril de 2010
Acima de tudo...

 

Um beijo enorme de PARABÉNS à minha doce amiga Segredos!!!

 



publicado por Sheila às 03:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 11 de Abril de 2010
Ritmos...

 

"O ritmo que imprimimos à vida e ao que fazemos é o resultado daquilo que somos e sentimos em cada momento da nossa vida.

Esse ritmo da vida não é sempre igual, vamos adaptando o nosso ritmo ao trabalho que temos, ao tempo que temos, à disposição com que nos encontramos, ao espaço onde nos movemos, ao cansaço que sentimos, à força que conseguimos encontrar dentro de nós, ao grupo em que nos inserimos, às relações que estabelecemos, aos sonhos que queremos conquistar, etc…

Os nossos ritmos variam, é impossível manter um ritmo constante, afinal de contas não estamos sempre com a mesma disposição e com o mesmo nível de trabalho ou cansaço, e o ambiente que nos rodeia também muda.

 

Cada pessoa tem o seu ritmo próprio, logo quando duas ou mais pessoas estabelecem uma relação, seja um grupo de trabalho ou uma relação pessoal, os ritmos das pessoas vão jogar um papel importante no sucesso dessa relação.

Os ritmos apesar de distintos, numa relação têm de se manter minimamente compatíveis, para que seja possível manter os intervenientes motivados para continuarem a investir nessa relação que estão a construir e a viver. Têm de existir capacidade e espaço, para que cada pessoa possa adaptar o seu ritmo, e para que seja possível encontrar em conjunto um ponto de equilíbrio entre os ritmos. Por isso é que muitas relações, a dois ou num grupo alargado, acabam por não funcionar, porque os ritmos são incompatíveis e porque quem faz parte dessa relação não procura ou não consegue encontrar esse tal ponto de equilíbrio em conjunto com os demais.

 

Na vida tal como na música, o ritmo é importante porque marca a intensidade e a cadência com que queremos viver a melodia que é a nossa vida.

Se queremos produzir música com mais pessoas temos de compreender o ritmo de cada uma, e saber como juntar as melodias de cada um de forma harmoniosa."

 

 ... fica o desejo de uma semana harmoniosamente intensa, ritmada e cheia de melodia!

 



publicado por Sheila às 18:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 4 de Abril de 2010
Aprendizagens

 

"Numa aula de Filosofia, o Professor queria demonstrar um conceito aos seus alunos.

Assim, ele pegou num vaso de boca larga e dentro colocou, primeiramente, algumas pedras grandes.

Então perguntou à turma:

- Está cheio? 

Pelo que viam, o vaso estava repleto, por isso, os alunos juntos responderam:

- Sim! 

 O professor então pegou num balde de pedregulhos e virou para dentro do vaso.

Os pequenos pedregulhos alojaram-se nos espaços entre as pedras grandes.

Então, ele perguntou aos alunos:

- E agora, está cheio?

 Desta vez, alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu:

-Sim! 

 Continuando, o professor levantou uma lata de areia e começou a derramar a areia dentro do vaso.

A areia preencheu os espaços entre as pedras e os pedregulhos.

E, pela terceira vez, o professor perguntou:

- Então, está cheio?

 

Agora, a maioria dos alunos estava receosa, mas, novamente muitos responderam:

- Sim! 

Finalmente, o professor pegou num jarro com água e despejou o líquido dentro do vaso.

A água encharcou e saturou a areia. Neste ponto, o professor perguntou aos alunos:

- Qual o objectivo desta demonstração? 

Um jovem aluno levantou a mão e respondeu:

- Não importa quanto a "agenda" da vida de alguém esteja cheia, ela sempre conseguirá "espremer" dentro, mais coisas! 

- Não exactamente! Respondeu o professor.

O ponto é o seguinte: A menos que você, em primeiro lugar, coloque as pedras grandes dentro do vaso, nunca mais conseguirá colocá-las lá dentro.

- Vamos! Experimente. Disse o professor ao aluno, entregando-lhe outro vaso igual ao primeiro, com a mesma quantidade de pedras grandes, de pedregulhos, de areia e de água.

O aluno, começou a experiência, colocando a água, depois a areia, depois os pedregulhos e por último, tentou colocar as pedras grandes.

Verificou, surpreso, que elas não couberam no vaso. Ele já estava repleto com as coisas menores.

Então, o professor explicou para o rapaz: 

- As pedras grandes são as coisas realmente importantes de sua vida: seu crescimento pessoal e espiritual. Quando você dá prioridade a isso e mantém-se "aberto" para o novo, as demais coisas se ajustarão por si só: os seus relacionamentos (família, amigos), as suas obrigações (profissão, afazeres), os seus bens e direitos materiais e todas as demais coisas menores que completam a vida. Mas, se você preencher sua vida somente com as coisas pequenas, então aquelas que são realmente importantes, nunca terão espaço em sua vida.

Recomece. É uma boa sugestão.

Esvazie os seus vasos (mental, emocional) e comece a preenche-los com as pedras grandes.

Ainda há tempo!"



publicado por Sheila às 00:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 2 de Abril de 2010
Vida

 

Temos, todos que vivemos,

Uma vida que é vivida

E outra que é pensada,

E a ínica vida que temos

É essa que é dividida

Entre a verdadeira e a errada

 

Fernando Pessoa

 

Mesmo entre o que é verdadeiro e errado, o importante é viver e

não perder nunca essa capacidade!

 

Feliz Páscoa para todos!

 



publicado por Sheila às 15:52
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Quarta-feira, 31 de Março de 2010
Resta...

 

Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura

Essa intimidade perfeita com o silêncio. 

...

Resta essa imobilidade

essa economia de gestos

essa inércia cada vez maior diante do infinito.

...

Resta essa faculdade incoercível de sonhar

De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade

De aceitá-la tal como é.

...

Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto

Esse eterno levantar-se depois de cada queda

Essa busca de equilíbrio no fio da navalha

Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo

Infantil de ter pequenas coragens.

 

Vinícius de Morais

O Haver (fragmentos)

 



publicado por Sheila às 15:07
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Domingo, 28 de Março de 2010
Eureka!

 

"Como é bom descobrir um enigma, resolver uma charada,

encontrar a solução ou descobrir o que nos faz falta!

É como deixar de viver na sombra da ignorância, chegar

à verdade, à informação, ao resultado, à chave para o enigma

ou à verdade que falta para compreender o problema que temos diante de nós.

E às vezes procuramos desesperadamente e não conseguimos obter o que queremos,

depois quase por acaso a solução aparece à frente dos nossos olhos como que por milagre.

Às vezes corremos e reviramos a casa em busca de algo que nos faz falta e não encontramos,

até que um belo dia por acaso lá está o objecto que parecia esconder-se de nós.

Quanto mais procuramos menos encontramos...

E de repente parece que a solução se atravessa à nossa frente e faz-se luz na nossa cabeça!

Nessa altura apetece gritar como Arquimedes: Eureka! Eureka!"

 

Boa Semana!

 

 



publicado por Sheila às 22:25
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Março de 2010
Silêncio Amoroso

 

Preciso do teu silêncio cúmplice sobre minhas falhas.

Não fales! Um sopro, a menor vogal pode me desamparar.

E se eu abrir a boca minha alma vai rachar.

O silêncio, aprendo, pode construir.

É um modo denso/tenso - de coexistir.

Calar, às vezes, é fina forma de amar.

 

Affonso Romano de Sant'Anna

Silêncio Amoroso

 

Bom Fim de Semana!

 



publicado por Sheila às 17:30
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Março de 2010
Vazio

 

“Mas mesmo assim ela estava inquieta, mesmo assim lhe faltava algo.

Isto é satisfação, isto é contentamento, isto é quietude, e prosperidade interior.

Isto não é suficiente.

Há um vazio no coração das coisas.

Era em parte um isolamento, a sua própria separação, mas também uma necessidade

de ser tão inedentificável, transparente e banal como uma pedra numa praia cheia delas,

um mero fragmento do mundo banal - pois ela pensava que nunca fora isso, nunca soubera como.

E mais, o que sentia era um vazio, um desejo de ser completa, uma necessidade de um foco para

a sensação de urgência dentro de si. “

 

Susan Hill  - ” The service of clouds “

 

 ... que saudades que tenho do mar... de falar com ele e de sentir a tranquilidade e a calmia que me transmite!

 



publicado por Sheila às 12:13
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 23 de Março de 2010
Ilusão mascarada...

  

 

"É de momentos que vivemos e também é nos momentos que a existência se constrói.

Nos intervalos lá vamos pulando de acontecimento em acontecimento até ao epílogo, até ao acontecimento final, que é sempre o mesmo.

Isto faz com que a vida seja um absurdo com um princípio feliz e um final desventurado.

Pelo meio há muito teatro...

Pode-se dizer que os acontecimentos da nossa vida, seja ela qual seja, são tantas vezes uma encenação teatral. E nós o actor principal que é sempre secundário em relação a um terceiro que é um figurante e mais outro que é outro figurante e por aí fora, tudo isto numa cadeia ininterrupta de papéis principais, secundários, figurantes, aderecistas, encenadores, etc, numa lógica vertiginosa de tudo e nada ser no palco da existência que é uma existência mal ou bem vivida, com altos e baixos, com momentos dramáticos e outro cómicos, com fases alegres e outras tristes.

Se existe alguma coisa que valha a pena, viver é uma delas.

Mas viver é como comer, é vital mas exige trabalho, exige dedicação e a consumação de actos que vistos de fora são ridículos mas subsistem como se fossem absolutamente essenciais à ilusão.

E a vida é ilusão. Sempre ilusão. E atrás de uma ilusão outra lhe sucede e outra e outra.

Pois, por agora, fixemos-nos no teatro que a ilusão antecipa..."

 

João Madureira

  

... e quantos de nós já não viram este peça... lol 

 

 



publicado por Sheila às 21:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Se eu pudesse...

Dêem-me uma parede branca!

Quero reescrever-me

desde o início

Quero-me noutra história

em que eu invente o princípio

sem deixar nada ao acaso

Quero saber o que faço

e para quê

Quero ser dono do tempo, do espaço

desenhar as personagens

a cruzar no meu caminho

Quero ser o narrador

o dono, rei e senhor

de uma vida desenhada

a régua e esquadro

por - para - mim

 

Rui de Morais (Ver InVerso)

Caminhante

 

 Hoje estou como este texto... e se pudesse mudava muita coisa na minha vida!

 

Boa Semana!

 



publicado por Sheila às 09:42
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Terça-feira, 16 de Março de 2010
Felicidade

 

Quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

 

 

Cecília Meireles

em A Arte de Ser Feliz

 

Aos meus amigos e colegas de trabalho, que me surpreenderam com sms's, emails e manifestações de curiosidade e algum receio com a perspectiva de saida da empresa, quero dizer que ainda não é desta que se vão livrar do meu "mau feitio". Apesar de não me sentir completamente realizada e perante a perspectiva de alterar radicalmente a minha rotina, o meu tempo pessoal e a minha forma de viver, opto por manter o padrão de vida desenvolvido até ao momento. O aspecto monetário é importante, mas perante a familia e o meu tempo pessoal, não há dinheiro ou cargos que consigam ser mais relevantes!

Beijinhos doces e obrigado pelo vosso carinho sempre :)

 



publicado por Sheila às 10:52
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Terça-feira, 9 de Março de 2010
1 Ano de Blog

 

 

E faz hoje um ano que criei este meu cantinho e doce refúgio :)

Um ano de partilha, novos amigos, novas aprendizagens, imensa cumplicidade, muito divertimento, momentos sérios, tristes, profundos, intensos, alegres, felizes que me fazem crescer e continuar a sorrir.

A todos vocês, meus doces amigos virtuais, meus amigos do dia a dia e a todos os meus amigos e aos mais próximos que amo de coração, gostaria de dizer que convosco sinto-me completa.

É um prazer enorme fazer parte das vossas vidas e dia após dia poder acompanhar um pouquinho da vossa vida também!

Um beijo doce e terno para todos...

 

 

"O que faz andar a estrada?

É o sonho!

Enquanto a gente sonhar

a estrada permanecerá viva.

É para isso que

servem os caminhos,

para nos fazerem parentes do futuro." 

 

Mia Couto 

(Terra Sonâmbula)

 

 Resta-nos, acima de tudo, não perder, nunca, a coragem de continuar a sonhar e acreditar nos nossos sonhos!

Obrigado pela vossa companhia e carinho

 



publicado por Sheila às 01:40
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Sexta-feira, 5 de Março de 2010
Caminhos

 

A distância mais curta entre dois pontos

pode ser a linha recta,

mas é nos caminhos curvos que se encontram

as melhores coisas da vida.

 

Lygia Fagundes Telles

É preciso amar...

 



publicado por Sheila às 10:35
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Quinta-feira, 4 de Março de 2010
Intuição

 

"As mulheres aprendem a observar nos outros aquilo a que mais tarde chamam intuição.

É uma qualidade quase exclusiva do foro feminino e é por isso que os homens que também a possuem chegam mais longe.

A essa capacidade de antecipar a realidade, de ler no olhar uma subtileza, de interpretar a vontade e o medo nas batidas de um coração, os homens chamam-lhe instinto, as mulheres, intuição.

É a intuição que diz a uma mulher que está a gerar uma criança mesmo antes de fazer o teste da gravidez, que indica os caminhos do coração quando a dúvida se instala, que lhe diz quando deve lutar por um homem ou desistir dele.

É uma espécie de mapa interior, de guia invisível, de alarme adiantado à inevitabilidade da vida.

A estes sinais, dados pelo acaso, por um centésimo de segundo de silêncio ou na troca furtiva de um olhar, é preciso interpretar o que sente e a partir daí perceber o que pode acontecer."

 



publicado por Sheila às 10:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Segunda-feira, 1 de Março de 2010
Sentido da Vida...

 

Achamos que a vida é uma sonata

que começa com o nascimento

e deve terminar com a vellhice.

Mas isso está errado.

Vivemos no tempo, é bem verdade.

Mas, é a eternidade que dá sentido à vida.

Eternidade não é o tempo sem fim.

Tempo sem fim é insurportável.

Eternidade é o tempo completo,

esse tempo do qual a gente diz:

"Valeu a pena".

 

Compreendi, então,

que a vida é uma sonata que,

para realizar a sua beleza,

tem que ser tocada até o fim.

Dei-me conta, ao contrário,

de que a vida é um álbum de minissonatas.

Cada momento de beleza vivido e amado,

por efêmero que seja,

é uma experiência completa

que está destinada à eternidade.

Um único momento de beleza e amor

justifica a VIDA inteira.

 

Rubem Alves

em Concerto para Corpo e Alma

 

Excelente semana... com menos chuva please!

 

Ps: Parabéns ao meu Sporting  LOL



publicado por Sheila às 10:35
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010
Fibra

 

Como as pessoas, cada tecido tem as suas próprias vantagens e limitações.

Alguns são finos e lindos, mas frágeis que se rasgam ao mínimo picote.

Outros têm a trama tão cerrada que nem dá para ver as fibras.

Há ainda os que são grossos, encorpados, chegando até a arranhar.

Impossível mudar o caráter de um tecido.

Ele pode ser cortado, rasgado, cozido, para se transformar em vestidos,

calças, ou toalhas de mesa, mas seja qual for o feitio que assuma,

o pano continuará sempre o mesmo.

A sua verdadeira natureza não se altera, qualquer boa costureira sabe disso.

 

Frances de Pontes Peebles

A Costureira e o Cangaceiro

 

 

"E tal qual uma boa costureira, a vida encarrega-se de reconhecer e revelar

a natureza do tecido que nos reveste, seja qual for o feitio que assumamos."

 



publicado por Sheila às 11:45
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2010
Mágoa

 

 

“É uma palavra bonita, mágoa. Sabe a lágrimas silenciosas, a noites de insónia,

a manhãs de Domingo solitárias e sem sentido.

Está para lá da tristeza, da saudade, do desejo de lutar pelo que já se perdeu,

da raiva de não ter o que mais se queria, da pena de ter deixado fugir um grande amor,

por ser demasiado grande. Primeiro grita-se, barafusta-se, soluça-se em catadupas.

Depois, é o pós-guerra, a rendição, a entrega das armas e as sentenças de um tribunal

marcial interior, em que os juízes são a vida, e o réu, o que fizermos dela.

Limpam-se os destroços. Enterram-se os mortos, tratam-se dos feridos,

que são as nossas feridas, feitas de saudades, de desencontros, palavras infelizes

e frases insensatas, medos, frustrações e tudo o que não dissemos.

A mágoa chega então, quando o cansaço já não nos deixa sentir mais nada.

É silenciosa e matreira, instala-se sem darmos por ela, aloja-se no coração.

Mas o mundo nunca pára. Nada pára. A vida foge, os dias atropelam-se,

é preciso continuar a vivê-los, mesmo com dor.

Pelo menos a mágoa magoa, mas faz-nos sentir vivos.”

 

As Crónicas da Margarida,

Margarida Rebelo Pinto

 Felizmente não tenho muitas mágoas, mas tenho momentos que olho para trás no tempo e sinto-me triste por saber que não voltarei a vivê-los. É precisamente por isso que cada novo dia é motivo suficiente para vivermos intensamente cada momento, para que não fiquem mágoas do que não se volta a repetir. Como diz a Margarida Rebelo Pinto o mundo não pára, nada pára e é preciso continuarmos bem impulsionados para continuar a viver.

Que seja intensamente. Que seja com alegria. Que seja com óptimismo.

 

Que um sopro seja o suficiente para afastar as mágoas que por vezes nos assombram! 

 

Continuação de boa semana!

 



publicado por Sheila às 01:26
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010
O Medo...

 

O medo, essa força misteriosa que nos rouba a alegria e o sonho,

devia vir no dicionário como antónimo de vontade.

O medo é como um terreno minado;

nunca o atravessamos mesmo que do outro lado

estejam todos os nossos desejos.

 

Margarida Rebelo Pinto

Diário da tua ausência

 

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,

que já têm a forma do nosso corpo,

e esquecer os nossos caminhos,

que nos levam sempre aos mesmos lugares.

 

É o tempo da travessia: e, se não ousarmos faze-la,

teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

 

 

Fernando Teixeira de Andrade

O Medo: o maior gigante da alma

 



publicado por Sheila às 10:33
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

* mais sobre mim
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* Vida

* Ó tempo volta para trás.....

* Acima de tudo...

* Ritmos...

* Aprendizagens

* Vida

* Resta...

* Eureka!

* Silêncio Amoroso

* Vazio

* Ilusão mascarada...

* Se eu pudesse...

* Felicidade

* 1 Ano de Blog

* Caminhos

* Intuição

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* Doces Miminhos
* pesquisar
 
* Doces Visitas (desde 9 MAR 2009)
Hit Counter
* Playlist


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

* Time



More Cool Stuff At POQbum.com

* Contador de Doces Refugiados
free counters
eXTReMe Tracker
* Doces Refugiados (desde 3 ABR 2009)
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!