Terça-feira, 14 de Julho de 2009
Num Hospital Português...

Bom dia, é da recepção?

Eu gostaria de falar com alguém que me desse informações sobre os doentes.

Queria saber se determinada pessoa está melhor  ou se piorou....

- Qual e o nome do doente?

- Chama-se Celso e está no quarto 302.

- Um momentinho, vou transferir a chamada para o sector de enfermagem...

- Bom dia, sou a enfermeira Lurdes. O que deseja?

- Gostaria de saber as condições clínicas do doente Celso do 302, por favor! 

- Um minuto, vou localizar o médico de serviço.

- Aqui é o Dr. Carlos, de serviço. Em que posso ser-lhe útil?

- Olá, Sr. Doutor. Precisaria que alguém me informasse sobre o estado de saúde do Celso que está internado há três semanas no quarto 302.

- Ok, vou consultar a ficha do doente... Só um instante!

- Ora aqui está: ele alimentou-se bem hoje, a tensão arterial e a pulsação estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e vai ser retirado do monitor cardíaco até amanhã. Continuando bem, o médico responsável dar-lhe-á alta em três dias. 

- Ahhhh, Graças a Deus! São notícias óptimas! Que alegria!

- Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família!?

- Não, sou o próprio Celso que telefona daqui do 302!!! É que toda a gente entra e sai do quarto mas ninguém me diz a ponta de um corno... só queria saber se estava melhor!!

 

Ah! Quanto vale a esperteza do Tuga! 

Sem dúvida que no dia a dia o importante é mesmo ter atitude!

 



publicado por Sheila às 11:02
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Domingo, 21 de Junho de 2009
Comunicação

 

"Na comunicação, o mais complicado nem é a mensagem nem a própria técnica, é principalmente o receptor. Hoje em dia, parece ser cada vez mais complicado conversar porque um sim, pode ser um talvez; um talvez um não ; um não uma incerteza…

 

Parece que as pessoas se escondem por trás das palavras, que falam cheias de reservas mentais e que a espontaneidade está a tornar-se uma qualidade em vias de extinção. Parece que a sinceridade e a franqueza estão a dar lugar a uma pseudo-diplomacia a que dou o nome de hipocrisia. Parece que se faz aquilo que é politicamente correcto, mesmo que esteja contra os próprios valores e princípios morais. Parece que o diálogo já não cria pontes entre as pessoas, mas apenas muros… e é pena."

 



publicado por Sheila às 03:05
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Sexta-feira, 22 de Maio de 2009
Limites!

 

 

Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos, os erros dos nossos progenitores e com o esforço de abolirmos os abusos do passado.

Somos os pais mais dedicados e compreensivos mas, por outro lado os mais bobos e inseguros que já houve na história.

O grave é que estamos a lidar com crianças mais “espertas” do que nós, ousadas, e mais “poderosas” que nunca!

Parece que, na nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ser, passamos de um extremo ao outro.

Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram aos seus pais e a primeira geração de pais que obedecem aos seus filhos.

Os últimos que tivemos medo dos pais e os primeiros que tememos os filhos.

Os últimos que cresceram sob o mando dos pais e os primeiros que vivem sob o jugo dos filhos.

E, o que é pior, os últimos que respeitamos os nossos pais e os primeiros que aceitamos que os nossos filhos nos faltem com o respeito.

À medida que o permissível substítuiu o autoritarismo, os termos das relações familiares mudou de forma radical, para o bem e para o mal.

Com efeito, antes se considerava um bom pai, aquele cujos filhos se comportavam bem, obedeciam às suas ordens, e os tratavam com o devido respeito. E bons filhos, as crianças que eram formais, e veneravam os seus pais, mas à medida em que as fronteiras hierárquicas entre nós e os nossos filhos foram-se desvanecendo...

Hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, ainda que pouco o respeitem.

E são os filhos, quem agora, esperam respeito dos seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas ideias, os seus gostos, as suas preferências e sua forma de agir e viver.

E que além disso, que patrocinem no que necessitarem para tal fim.

Quer dizer; os papéis inverteram-se!!

Agora são os pais que têm que agradar aos seus filhos para “ganhá-los” e não o inverso como no passado.

 

Isto explica o esforço que fazem tantos pais e mães para serem os melhores amigos e “darem tudo” aos seus filhos.

Dizem que os extremos se atraem. Se o autoritarismo do passado encheu os filhos de medo dos seus pais, a debilidade do presente os preenche de medo e menosprezo aos nos verem tão débeis e perdidos como eles.

Os filhos precisam de perceber que durante a infância, estamos à frente das suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter e de guiá-los, enquanto não sabem para onde vão...

É assim que evitaremos que as novas gerações se afoguem no descontrolo e tédio no qual está afundando uma sociedade que parece ir à deriva, sem parâmetros nem destino.

Se o autoritarismo suplanta, o permissível sufoca.

Apenas uma atitude firme, respeitosa, lhes permitirá confiar na nossa idoneidade para governar as suas vidas enquanto forem menores, porque vamos à frente liderando-os e não atrás, carregando-os e rendidos às suas vontades.

Os limites abrigam o indivíduo. Com amor ilimitado e profundo respeito.

 

Mônica Monastério

 



publicado por Sheila às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Terça-feira, 19 de Maio de 2009
Ciúmes!

  

 

O ciúme é como uma figura de um baralho de cartas no jogo dos relaccionamentos!

 

Numa relação a dois temos inicialmente o naipe de copas. Há um rei e uma rainha.

Às vezes intromete-se um valete chamado ciúmes! Chegam com o naipe das espadas, sejam eles damas ou duques, mas as copas tentam sempre ter o trunfo na mão, um certo poder ou o ás da sedução e do desejo, ou o ás de ouros da confiança que o valete, seja de que naipe for, não conseguirá abalar!

 

Nas relações de amizade e entre várias cartadas e jogos baralham-se as cartas, entre duques, ternos, quadras, senas, manilhas ou ases, poderá haver um valete (ou uma dama) chamado ciúmes. Tempos passam em que cartas do mesmo naipe se unem em cartolinas amarelecidas pelo tempo e nada mais as separa, mas por vezes o baralho da amizade também fica parado num estojo, guardado numa mesinha de jogo forrada a tecido verde e já ninguém joga! Tudo porque um valete ou uma dama, de paus ou de espadas prevaleceu e conseguiu atingir todas as outras.

 

Há sempre a esperança de um tão esperado dia em que novas mãos recolhem as cartas, querendo aprender o jogo, e duques, ternos, quadras, quinas, senas, manilhas, ases, reis e rainhas regressam à dança de mão em mão, reavivando o que outroura um simples valete (ou dama) chamado ciúmes deixara adormecido.

  

No “jogo” dos relaccionamentos, tal como num baralho de cartas, todas elas são necessárias ao objectivo do jogo, cada uma com a sua pontuação é certo! Mas no jogo dos afectos não pode haver valetes ou damas que prevaleçam, mesmo que apareçam nos quatros naipes de um simples baralho de cartas!

  

Os amigos não se perdem... se deixaram de o ser é porque nunca o foram!

 



publicado por Sheila às 21:43
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Maio de 2009
O Vestido Azul

Num bairro pobre de uma cidade distante, morava uma menina muito bonita. Ela frequentava a Escola local. A sua mãe não tinha muito cuidado e a criança quase sempre apresentava-se suja. As suas roupas eram muito velhas e maltratadas.

O Professor ficou sensibilizado com a situação da menina.

- "Como é que uma menina tão bonita pode vir tão mal vestida para a Escola?"

Separou algum dinheiro do seu salário e, embora com dificuldade, resolveu comprar-lhe um vestido novo.

Ela ficou linda no seu novo vestido azul!

Quando a mãe viu a filha naquele lindo vestido azul, sentiu que era lamentável que a sua filha, vestindo aquele traje novo, fosse tão suja para a escola. Por isso, passou a dar-lhe banho todos os dias,a pentear os seus cabelos e a cortar as suas unhas...

Quando acabou a semana, o pai da menina disse:- "Mulher, tu não achas uma vergonha que a nossa filha, sendo tão bonita e bem arrumada, more num lugar como este, caindo aos pedaços? Que tal passarmos a ajeitar a nossa casa? Nas horas vagas, eu vou dar uma pintura nas paredes, consertar a cerca, plantar um jardim."

Dali em pouco tempo, a casa destacava-se na pequena vila pela beleza das flores que enchiam o jardim, e o cuidado em todos os detalhes. Os vizinhos ficaram envergonhados por morar em barracos feios e resolveram também arrumar as suas casas, plantar flores, usar pintura e criatividade.

Em pouco tempo, o bairro todo estava transformado...

Um homem, que acompanhava os esforços e as lutas daquela gente, pensou que eles bem mereciam um auxílio das autoridades. Foi ao Presidente da Câmara expor as suas ideias e conseguiu obter autorização para formar uma comissão para estudar os melhoramentos que seriam necessários ao bairro.

A rua, de barro e lama, foi substituída por asfalto e calçadas  de pedra.

Os esgotos a céu aberto foram canalizados e o bairro ganhou ares de cidadania.

E tudo começou com um vestido azul...

Não era intenção daquele professor arranjar toda a rua, nem criar um organismo que socorresse o bairro. Ele fez o que podia, deu a sua parte. Fez o primeiro movimento que acabou fazendo com que outras pessoas se motivassem a lutar por melhorias.

Será que cada um de nós está a fazer A SUA PARTE no lugar em que  vive? Ou será que somos daqueles que somente apontam os buracos da rua, as crianças à solta sem escola e a violência do trânsito?

Lembremos que é difícil mudar o estado total das coisas. Que é difícil limpar todas as ruas, mas é fácil varrer o nosso passeio.

É difícil reconstruir um Planeta, mas é possível dar um vestido azul!

Há moedas de amor que valem mais do que os tesouros bancários,quando endereçadas no momento próprio e com bondade.

 



publicado por Sheila às 10:29
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sexta-feira, 8 de Maio de 2009
Mundo

A Derradeira Notícia

 

Pai, que eles possam impedir a derradeira notícia!

 

 

 

A Natureza entristeceu!

O verde foi desaparecendo vezes e vezes mais a cada dia.

Acabaram-se as florestas.

As flores relutaram, mas foram vencidas em vasos de porcelana, de barro, de gesso.

Os animais buscaram algum último desesperado meio de manter suas espécies.

A última espécie desapareceu.

Secaram os rios, morreram os peixes, perderam-se as praias.

O mar, solitário, desistiu.

O céu recolheu a lua e todas as estrelas.

O sol se escondeu.

Poluição ... silêncio.

A vida chorou e ninguém percebeu:

não houve águas de chuva nem frescores noturnos.

Aves já não dão piruetas no ar:

não há vento, não há luz.

Não há crianças nas ruas, não há mulheres grávidas,

não há homens férteis.

Não há velhinhos passeando em praças,

não há sombras de árvores, não há árvores.

A natureza morreu!

Chora, humano! Chora!

Chora por último e chora melhor!

Chora da forma mais perfeita que tu puderes.

A lágrima é a água que te sobrou.

 

Silvia Schmidt

 



publicado por Sheila às 15:16
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Terça-feira, 5 de Maio de 2009
SER POBRE...

 

 

 

Um pai, bem na vida, quis que o seu filho soubesse o que era ser pobre, e levou-o para passar uns dias com uma família de camponeses. O menino passou 3 dias e 3 noites a viver no campo.

No carro, e de volta à cidade, o pai perguntou-lhe:

Como foi a tua experiência?

- Foi boa, responde o filho, com o olhar perdido à distância.

E o que é que aprendeste? Insistiu o pai.

O filho respondeu:

1 - Que nós temos um cão e eles tem quatro...

2 - Que nós temos uma piscina com água tratada, que chega até metade do nosso terreno. Eles têm um rio sem fim, de água cristalina, onde têm peixinhos e outras belezas.

3 - Que nós temos candeeiros para iluminar o nosso jardim, enquanto que eles tem as estrelas e a lua para iluminá-los.

4 - Que o nosso terreno chega até o muro. O deles chega até o horizonte.

5 - Que nós compramos a nossa comida, e eles cozinham.

6 - Que nós ouvimos CD's... Eles ouvem uma perpétua sinfonia de pássaros, periquitos, sapos, grilos e outros animais... e muitas vezes acompanhada pelo sonoro canto de um vizinho que trabalha na sua terra.

7 - Que nós usamos microondas. Tudo o que eles comem tem o glorioso sabor do fogão à lenha.

8 - Que para nos protegermos vivemos rodeados por um muro, com alarmes... Eles vivem com as suas portas abertas, protegidos pela amizade dos seus vizinhos.

9 - Que nós não vivemos sem telemóveis, sem computador e sem televisão... e que eles vivem intensamente a vida, ligados ao céu, ao sol, à água, ao verde do campo, aos animais, às suas sombras, à sua família.

O pai ficou impressionado com a profundidade do seu filho e então o filho terminou:

 

- Obrigado, pai! por me teres ensinado o quanto somos pobres!

 

 

Cada dia grande parte da humanidade está mais pobre de espírito e de observação da natureza, que são as grandes obras de Deus.

 

Cada vez mais há uma constante preocupação em TER, TER, TER, E CADA VEZ MAIS TER, em vez de existir a preocupação em SER: SER cada vez mais, SER cada vez melhor,  SER verdadeiro, SER livre, SER completo...

 



publicado por Sheila às 12:10
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Terça-feira, 28 de Abril de 2009
Sete Sapatos Sujos

 

 

O escritor moçambicano Mia Couto, também licenciado em Medicina e Biologia, fez uma oração de sapiência na abertura do ano lectivo do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique.  Excertos desta oração foram publicados no “Courrier Internacional”.

 

Destacam-se... “Os Sete Sapatos Sujos”:

 

“ Não podemos entrar na modernidade com o actual fardo de preconceitos.  À porta da modernidade precisamos de nos descalçar.

Eu contei “Sete Sapatos Sujos” que necessitamos  de deixar na soleira da porta dos tempos novos. Haverá muitos mais ainda... mas eu tinha que escolher e sete é um número mágico:

 

Primeiro Sapato

A ideia de que os culpados são sempre os outros.

 

Segundo Sapato

A ideia de que  o sucesso não nasce do trabalho.

 

Terceiro Sapato

O preconceito de que quem critica é um inimigo. 

 

Quarto Sapato

A ideia de que  mudar as palavras muda a realidade.

 

Quinto Sapato

A vergonha de ser pobre e o culto das aparências. 

 

Sexto Sapato

A passividade perante a injustiça . 

 

Sétimo Sapato

A ideia de que, para sermos modernos, temos que imitar os outros.

 

 



publicado por Sheila às 10:08
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sexta-feira, 17 de Abril de 2009
Sobre pais, mães e filhos!

O Dr. Arun Gandhi, neto de Mahatma Gandhi e fundador do MK Institute, contou a seguinte história sobre a vida sem violência numa palestra proferida na Universidade de Porto Rico:
 
"Eu tinha 16 anos e vivia com os meus pais, na instituição que o meu avô tinha fundado, e que ficava a 18 milhas da cidade de Durban, na África do Sul.
 
Vivíamos no interior no meio dos canaviais, e não tínhamos vizinhos, por isso as minhas irmãs e eu sempre ficávamos entusiasmados com a possibilidade de ir até a cidade para visitar os amigos ou ir ao cinema.
 
Certo dia o meu pai pediu-me que o levasse até a cidade, onde participaria de uma conferência durante o dia todo. Eu fiquei radiante com esta oportunidade.
 
Como íamos até a cidade, a minha mãe deu-me uma lista de coisas que precisava do supermercado e, como passaríamos lá o dia todo, o meu pai pediu-me que tratasse de alguns assuntos pendentes, como levar o carro à oficina.
 
Quando me despedi do meu pai ele disse-me:  'Encontramo-nos aqui, às 17 horas, e voltaremos para casa juntos'.
 
Depois de cumprir todas as tarefas, fui até o cinema mais próximo. Distraí-me tanto com o filme (um filme duplo de John Wayne) que me esqueci da hora. Quando me dei conta eram 17h30. Corri até a oficina, peguei no carro e apressei-me a ir buscar meu pai!

Eram quase 18 horas.!
 
Ele perguntou-me ansioso: 'Porque chegaste tão tarde?' Eu sentia-me mal pelo ocorrido, e não tive coragem de dizer que tinha perdido a hora a ver um filme do John Wayne. Então, lhe disse que o carro não tinha ficado pronto, e que tivera que esperar.

O que eu não sabia era que ele já havia telefonado para a oficina.
 
Ao perceber que eu estava a mentir, disse-me:


'Algo não está certo no modo como te tenho educado, porque não tiveste a coragem de me dizer a verdade. Vou refletir sobre o que fiz de errado!. Caminharei as 18 milhas até nossa casa para pensar sobre isso'.
 
Assim, vestido com as suas melhores roupas e calçando sapatos elegantes, começou a caminhar para casa pela estrada de terra sem iluminação. Não pude deixá-lo sozinho...Guiei por 5 horas e meia atrás dele... Vendo o meu pai a sofrer por causa de uma mentira estúpida que eu havia dito. Decidi ali mesmo que nunca mais mentiria.
 
Muitas vezes me lembro deste episódio e penso: 'Se ele me tivesse castigado da maneira como nós castigamos os nossos filhos, será que teria aprendido a lição?'
 
Não, não creio. Teria sofrido o castigo e continuaria a fazer o mesmo. Mas esta acção não-violenta foi tão forte que ficou impressa na minha memória como se fosse ontem. 
 
Este é o poder da vida sem violência!
 



publicado por Sheila às 15:16
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Terça-feira, 7 de Abril de 2009
Este Verão queres ser sereia ou baleia?

Ora ai está um excelente texto, que recebi por email! :)

 

Há uns dias, numa cidade de França, um cartaz, com uma jovem espectacular, na montra de um ginásio, dizia:
"ESTE VERÃO, QUERES SER SEREIA OU BALEIA?"
 
Dizem que uma mulher jovem-madura, cujas características físicas não interessam, respondeu à pergunta publicitária nestes termos:
 
"Estimados Senhores:
As baleias estão sempre rodeadas de amigos (golfinhos, leões-marinhos, humanos curiosos). Têm uma vida sexual muito activa, engravidam e têm baleiazinhas ternurentas, às quais amamentam.
Divertem-se à brava com os golfinhos, enchendo a barriga de camarões. Brincam e nadam, sulcando os mares, conhecendo lugares tão maravilhosos como a Patagónia, o mar de Barens ou os recifes de coral da Polinésia.
As baleias cantam muito bem e até gravam CD's. São impressionantes e practicamente não têm outros predadores além dos humanos. São queridas, defendidas e admiradas por quase toda a gente.
 
As sereias não existem.  E,  se existissem,  fariam fila nas consultas dos psicanalistas,  porque teríam um grave problema de personalidade, "mulher ou peixe?".
Não têm vida sexual, porque matam os homens que delas se aproximam, além disso, por onde? Por isso, também não têm filhos. São bonitas, é verdade, mas solitárias e tristes. Além disso, quem quereria aproximar-se de uma rapariga que cheira a peixaria?
Para mim está claro, quero ser baleia. 
 
P.S.: Nesta época em que os meios de comunicação nos metem na cabeça a ideia de que apenas as magras são bonitas, prefiro disfrutar de um gelado com os meus filhos, de um bom jantar com um homem que me faça vibrar, de um café e bolos com os meus amigos.
 
Com o tempo ganhamos peso, porque ao acumular tanta informação na cabeça, quando já não cabe, espalha-se pelo resto do corpo, por isso não estamos gordas, somos tremendamente cultas. A partir de hoje, quando vir o meu rabo no espelhos, pensarei, Meu Deus, que inteligente que sou..."

 

 



publicado por Sheila às 15:03
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

Dalai Lama

 

E está tudo dito!



publicado por Sheila às 14:49
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Sexta-feira, 3 de Abril de 2009
O "fenómeno" Jade Goody

Começo por dizer que não sei se teria a coragem desta mulher, não só na sua exposição nos media, desde há alguns meses até à hora da sua partida, como na forma como encarou o seu destino. Só o consigo compreender porque deixou assegurado o futuro dos filhos e porque se calhar já não tinha mesmo nada a perder.

A história é conhecida de todos, dado o fenómeno e a popularidade que assumiu na comunicação social em todo o mundo.

 

 

Jade nasceu e cresceu numa familia disfuncional, ligada ao consumo de droga, e que segundo os media, foi o que a fez ser escolhida para o programa de reality show "Big Brother" Inglês, realizado em 2002. Foi nesta altura, provavelmente, uma das mulheres mais odiadas em Inglaterra. A sua actuação no programa referido foi pautada de bebedeiras, má educação e sexo ao vivo com colegas da casa. Viria numa seguinte fase a integrar o Big Brother de Celebridades, levando consigo a mãe, conhecida pelo vicio da droga. Mãe e filha estavam desenquadradas e eram a imagem do britânico comum, num programa onde participavam estrelas a sério. Jade foi apanhada nas malhas da sua ignorância. Com dificuldades em pronunciar o nome da estrela de filmes indianos, Shilpa Shetty, referia-se à colega de programa como "a indiana". O escândalo rebentou e até o Primeiro-Ministro foi obrigado a comentar o comportamento da cidadã do seu País. Acabou por ser este percalço a abrir-lhe as portas a outro reality show, desta vez na India: "Big Boss". E foi neste programa que veio a saber que sofria de cancro, aquela terrível doença que veio no entanto fazer com que o público se aproximasse dela de uma forma diferente, gerador de uma empatia por aquela pessoa que passa por um momento difícil.

 

 

O cancro foi motor de simpatia do público... afinal é uma doença da qual não se tem culpa, uma fatalidade na vida de qualquer um. Se o diagnóstico fosse Sida, talvez nunca tivesse tido a capacidade de vender a sua história até ao fim, afinal a Sida é uma doença que dependendo das circunstâncias acaba por ser vista como uma doença que uma pessoa criou para ela própria. A história, a decadência diária vendeu... a avidez do público por ver a desgraça alheia compôs o fenómeno, que rendeu uma fortuna e servirá para garantir o futuro dos filhos. Jade terá uma estátua erguida em sua memória, na cidade onde cresceu, pelo seu empenho em promover o rastreio do cancro do colo do útero.

 

 

Morreu no passado dia 22 de Março, dia comemorativo do Dia da Mãe em Inglaterra. Será sepultada amanhã, dia 4 de Abril, sob um ritual há muito idealizado e programado por ela.

A SIC vai transmitir, em exclusivo nacional, o documentário sobre os últimos momentos da vida de Jade. Sinceramente dúvido que venha a ver esse programa.

 

Não sei qual é a vossa opinião sobre toda esta história. Revolta-me este aproveitamento do sofrimento alheio de um ser humano. Mas ao pensar que era seu desejo só me resta aceitar e compreender que cada um de nós faz a escolha que acha melhor para as suas vidas. Resta-me relembrá-la como uma lutadora, alguém que até ao último momento não descurou os seus cuidados com os filhos e que até ao fim da sua vida lutou sempre pelos seus interesses com carinho e com a certeza que a sua partida lhes deixava o futuro garantido.

 

Desejo que descanse em paz.

Desejo que os seus filhos a recordem com muito carinho e tenham a sua coragem.

 


sinto-me:

publicado por Sheila às 19:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quinta-feira, 2 de Abril de 2009
O insólito de hoje!

E assim vai Portugal no seu melhor!

 

sic.aeiou.pt/programasInformacao/scripts/videoplayer.aspx

 


sinto-me:

publicado por Sheila às 15:32
link do post | comentar | favorito
|

Tendências Masculinas

Se há coisa que sou... é ser muito observadora e atenta! Se há algo que me pergunto é como é que um Tony Carreira enche estádios e pavilhões e mais houvesse, de mulheres completamente esganiçadas e como é que dada a crise se continuam a ver estádios de futebol cheios de desportistas tão anti-desportistas e mal-educados!

 

Como tudo isto me preocupa... nada como estar atenta às novas tendências masculinas... sim porque isto de ter uma filha... e daqui a mais uns anos... um “gaijinho” de mota... a sacar de umas cavaladas para dar show à vizinhança! (credo só de pensar nisso até tremo!) lol

 

Assim vão as tendências que vou observando por ai e que confesso achar algumas assustadoras!

 

Temos o simpático do “puto nice e betinho” cheio de cabelo... que quase não se vê a cara... com sorte conseguimos ver-lhe um olho! (mas lá diz o ditado em terra de cego quem tem um olho é rei... xii acho que o provérbio não é bem assim desculpem mas é o que me lembro!). Esta “espécie” é delicada, por vezes “florzinha”, veste a bela da marca Tommy ou Gant... o belo do sapatinho de vela daquele muito fininho tipo mocassim... e que ao fim de um tempo cada sapato adquire “abertura” suficiente para calçar dois pés..(experimentem reparar na forma de andar desta espécie!).. Geralmente dão nas vistas porque conseguem a proeza de sair à noite no Jipe da Mãe ou no BMW do Pai! Há alguns que conseguem uma proeza ainda maior: a de ter como 1º carro um “básico” BMW 530 para as suas voltas de casa à Faculdade! Mas atenção são poupados... cravam sempre o amigo com que saiem... com a desculpa “vá lá para a próxima pago eu!”

 

Temos o “amante do tuning” e em que há dois acessórios que nunca podem faltar: o boné e o brinquinho brilhante. Em geral, vestem-se de uma maneira peculiar... roupa bastante larga (bom para os magros!)... e calças de cintura descida (em que se tiverem o azar de ter um furo, dada a posição de resolução do dito (furo claro) somos presenteados com aquele cenário “abominável” de se lhe ver o “rego”). Estes “espécimens” têm por hábito “estragar” os carros de uma maneira que até doi (às vezes) Colocam Ailerons e outras coisas que eu nem sei o nome, e por vezes colocam aqueles autocolantes enormes com a marca do carro (cromos liga com autocolantes né? Tá explicado! Brrr). A música no carro quer-se sempre bem alta, até porque eles investem muito no material de som! Acho que devem colocar aquelas luzinhas azuis na frente dos carros porque o grande sonho seria conduzirem um carro do INEM não?

 

Temos também os “men-da-night”. Em geral, frequentam discotecas conhecidas. Usam t-shirts colantes de marcas como Dolce Gabbana ou Emporio Armani. Mas, atenção estas têm de ter letras bem grandes à frente ou com o simbolo da marca em tamanho XXL. Para que todos saibam de que marca é. Sem isso, nada feito. É importante referir que esta espécie passa a semana a exercitar-se em ginásios, para no fim-de-semana exibir a sua musculatura, perante as incautas que se bamboleiam até ao chão, por essas discotecas fora. Sim, são sempre moços musculados. E usam sempre sunga na praia, daquelas bem justas para se notar bem a piloca (que, em geral, parece pequenina) e o resto. Para mostrar bem o corpo. Ah e atenção à “depilação” que é para esta espécie um top prioritário nas suas agendas!

 

Temos ainda os do “estilo-da-província”. São aqueles que ouvem Tony Carreira. Em geral, passeiam-se em carros cheios de bonecos pendurados no espelho retrovisor. Esta espécie não sai à noite, a não ser para o café do bairro ou para os bailes das festas da aldeia. Casam cedo e casam sempre com as tais que enchem os pavilhões para ver o seu ídolo - Tony Carreira. O domingo é o dia obrigatório para o célebre passeio no Centro Comercial, porque o que está a dar é entupir (com “boa” música... irra!) as filas de acesso aos Centros Comerciais! Não esquecendo do belo do animal de estimação, bem posicionado à janela do automóvel ou misturado com os peluches estratégicamente colocados na prateleira do vidro traseiro! Compreendo muitas vezes porque os animais também sofram de depressão!

 

Ah e para completar o cenário, não me posso esquecer que temos os do  “estilo-de-foleiro-rico”. Que em muito se parecem com os ”men-da-night”. As grandes referências desse estilo são o Cristiano Ronaldo e o Quaresma. São pessoas com muito dinheiro. Que gastam balúrdios em roupa e cosméticos. Mas que ficam eternamente com aquele estilo tão... tão foleiro (definitivamente não pertencem à classe de muitos metrosexuais que conheço!). Coleccionam carros mas são pouco dados a diversificação nos gostos... compram todos os mesmos... lá vão mudando a cor (é o que vale!). Vibram com mulheres de aspecto ordinário, de preferência com mamas grandes, longos cabelos loiros e com “longos” portofólios em calendários de uma marca qualquer conhecida!

 

Lembram-se de mais alguns? 

 

PS: Fica a advertência que com este post não quero ridicularizar ninguém, nem tão pouco dizer que selecciono aqueles com quem me relacciono! Mas apenas comentar humorísticamente alguma da realidade com que me deparo no dia a dia. Acho que muitas pessoas não são elas próprias, mas sim autênticas cópias (baratas) de outras... e muitas vezes nem vêm no ridiculo em que caiem!

 


sinto-me: pensativa!

publicado por Sheila às 02:30
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Terça-feira, 31 de Março de 2009
Novas Oportunidades...

 

 

É o país que nós temos…

A VERGONHA DAS “NOVAS OPORTUNIDADES”  !!!

Estatisticamente Portugal é dos paises mais bem qualificados, mas é só na teoria na prática continuamos com uma taxa elevada de ignorância!  Num país de igualdades uns estudam outros faz de conta que estudam, no final somos todos Dr’s e Engº’s…
…. o ego da ministra deve estar no seu auge!

!!!!Viva ao facilitismos!!!!! vamos mas é deixar de estudar e vamos para as novas oportunidades

É mais uma história de sucesso do Programa Novas Oportunidades, o tal programa tão elogiado pelo primeiro-ministro. Um programa que conduzirá Portugal ao primeiro lugar mundial nas estatísticas sobre Educação. Agora, ficamos a saber que Pedro Póvoa, atleta de Taekwondo, vai entrar em Medicina sem nunca ter posto os pés numa escola secundária. Desta forma, o Governo manda uma mensagem a todos os jovens portugueses: não é preciso estudar Biologia nem Química para entrar em Medicina. Nem é preciso frequentar o ensino secundário durante 3 anos. Bastam 6 meses no Novas Oportunidades. E a Ordem dos Médicos fica calada? Está revoltado? Não vale a pena revoltar-se. Não queira ser apelidado de ‘pessimista de serviço’!

Já se sabia que o Novas Oportunidades está a dar diplomas do ensino secundário à velocidade da luz. Ficamos agora a saber que há quem veja nele o caminho mais curto para ser médico. Já tinhamos engenheiros civis sem Matemática e Física do secundário, economistas sem Matemática e linguistas sem Latim. Agora passamos a ter médicos que tiraram o 12º ano em 6 meses. Estudar Biologia? Para quê? Química? Não é preciso! Matemática? É chato!

in  http://reflexo.tumblr.com


sinto-me:

publicado por Sheila às 18:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Segunda-feira, 30 de Março de 2009
Amigo - Aluga-se!

O titulo, assim a seco,  é um pouco perturbador... eu confesso que não  me deixa perturbada, mas deixa-me a pensar na evolução negativa deste conceito...

Deixo-vos com breves parágrafos do artigo:

 

"Quer um amigo? Alugue um! O Contrato pode ser por duas ou várias horas ou até mesmo para um fim de semana. «Personal Friend», o conceito, nasceu nos EUA, está a fazer sucesso no Brasil, e promete chegar, em breve, à Europa. O profissional faz o mesmo que um acompanhante de luxo, à excepção de sexo, com a mais-valia de muitos outros serviços.

Pode requerer companhia para uma ida ao teatro, para um passeio, para uma conversa, uma viagem, ou simplesmente, para levar o carro à oficina ou uma opinião masculina numa tarde de compras.

Nasceu no Rio de Janeiro... Formado em Economia, actualmente é um dos acompanhantes mais requisitados no Brasil, tendo já uma carteira fixa de clientes. "O meu serviço é o de acompanhante. A Amizade Verdadeira é uma conquista e essa é de graça" explica. "Tudo começou com a paixão pela dança. Fiz alguns trabalhos de coreografia e era constantemente convidado para sair, para dançar, com mulheres do meio artístico que não tinham companhia e que queriam apenas alguém com quem passar uma noite divertida, sem sexo. Os convites aumentavam e fui seleccionando os que me interessavam... Algumas vezes, as solicitações resumiam-se a idas a concertos, jantares, teatros ou mesmo caminhadas. Percebi que esta faceta poderia ser uma via profissional... Mantive as minhas actividades profissionais no ramo imobiliário, continuei a dar aulas de dança e a fazer coreografia, e passei também a fazer serviços de "personal friend"»

70% do seu rendimento advém deste serviço. Por uma hora cobra, no minimo, 17€. Mas os seus serviços podem ser muito mais rentáveis... se for contratado por um fim de semana que obrigue a deslocações, estas são suportadas pela pessoa que contrata e o preço e o pagamento é feito antes do dia da partida. "Há dias regressei de uma estadia no Chile, onde fui acompanhante durante uma viagem de negócios."

A solidão pode ser uma falsa questão para quem contrata um "amigo". Há pessoas que não estão necessariamente sozinhas, mas num determinado período pretendem apenas uma saída a dois com um estranho, para poderem falar de tudo sem a obrigatoriedade de terem de voltar a ver a pessoa no dia seguinte.

António não conseguiu limitar de forma muito clara o seu target. Mas assegura que a maioria se trata de "mulheres bem sucedidas". "Sou contratado por mulheres de várias idades, que estão à frente do seu tempo, são pessoas felizes e inteligentes. São pessoas que notam que o "apoio" de um amigo para as mais diversas ocasiões é benéfico. Podem achar que estas mulheres têm dificuldade em fazer amizades, mas quem toma a atitude de me ligar e contrata os meus serviços é uma pessoa aberta e segura e que quer ser mais feliz. Por vezes falamos de assuntos mais profundos e essa partilha de conhecimentos é sempre enriquecedora para ambos os lados."

A outra face deste negócio... a cliente:

Fábia é uma cliente assídua de António. Aos 32 anos e depois de uma separação, estava cansada de saídas e de amizades que pretendiam ser algo mais. "De início foi muito estranho estar com um desconhecido, mas depois ele deixou-me à vontade. Fomos jantar e acabámos a noite numa pista de dança. Acabei por voltar a contrata-lo para um fim de semana onde era preciso fazer arrumações, porque desde que me separei, nunca mais lá tinha ido. Hoje em dia aluguo-o sempre que preciso de alguém para levar o carro à ofícina ou para ir fazer manutenção na casa. Nunca senti que tivesse problemas de solidão ou de falta de amigos, simplesmente a descoberta deste serviço foi importante, numa altura em que estava sem namorado e sentia que os homens que se aproximavam de mim queriam mais do que uma amizade. Gosto da companhia do António, divirto-me quando saio com ele, quer seja para ir às compras, tratar dos pneus do carro, um jantar mais formal ou uma ida ao cinema."

in revista "HAPPY" de Abril.

E vocês o que acham deste novo conceito de "amizade-aluga-se"?


sinto-me:

publicado por Sheila às 01:37
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Sábado, 28 de Março de 2009
Tá quase...

Achei o relógio do Sapo tão lindo que não resisto a publicá-lo aqui lol

Digam lá que não é um must....

 

 

... e não se esqueçam de adiantar uma hora a partir da 1 da manhã...

Passa a ser tão bom sair do trabalho e sentir que temos mais horas úteis para aproveitar... O meu relógio do carro passa a estar actualizado (sim anda desde o ano passado com uma hora a mais e já sobressaltou muito pessoal amigo lolol)

Vivam os dias grandes... sabem mesmo bem :)



publicado por Sheila às 23:25
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Domingo, 22 de Março de 2009
Credo! Cruzes! Canhoto!

 

Não é que a senhora em destaque seja merecedora de algumas palavras minhas... mas de facto não posso deixar de ficar    !!!!

 

... dinheiro não é (definitivamente) sinal de bom gosto! IRRA!

 


sinto-me: LOLOL

publicado por Sheila às 20:41
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

Quinta-feira, 19 de Março de 2009
Caro Sr. Primeiro Ministro...

Venho por meio desta comunicação manifestar meu total apoio ao seu esforço de modernização do nosso país. Como cidadão comum, não tenho muito mais a oferecer além do meu trabalho. Percebi que posso definitivamente contribuir mais.

Vou explicar: Na actual legislação, pago na fonte 37% do meu salário (26 para o IRS e 11 para a Segurança Social). Como pode ver, sou um cidadão afortunado. Cada vez que eu, no supermercado, gasto o que o meu patrão me pagou, o Estado, e muito bem, fica com 20% para si. (37+20)

Sou obrigado a concordar que é pouco dinheiro para o governo fazer tudo aquilo que promete ao cidadão em tempo de campanha eleitoral. Mas o meu patrão é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75% daquilo que me paga para a Segurança Social. (57+23.75).

Além disso quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

Minha sugestão, é invertermos os percentuais. A partir do próximo mês autorizo o Governo a ficar com 80,75% do meu salário..

Funcionaria assim: Eu fico com 19,25%, sem qualquer ónus mas o Governo fica com as contas de:

- Escola,

- Seguro de Saúde,

- Despesas com médicos,

- Remédios,

- Materiais escolares,

- Condomínio,

- Água,

- Luz,

- Telefone,

- Gás

- Supermercado,

- Combustível,

- Vestuário,

- Lazer,

- Portagens,

- Cultura,

- Contribuição Autárquica,

- IVA,

- IRS,

- IA

- Imposto de Circulação

- Segurança Social,

- Seguro do carro,

- Inspecção Periódica,

- Taxas do Lixo, reciclagem, esgotos e saneamento -E todas as outras taxas que nos impinge todos os dias.

- Previdência privada e qualquer taxa extra que por ventura seja repentinamente criada por qualquer dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Um abraço Sr. Primeiro Ministro e muito boa sorte, do fundo do meu coração!

Ass: Um trabalhador que já não mais sabe o que fazer para conseguir sobreviver com dignidade.

PS: Podemos até negociar o percentual!!! 

Com os melhores cumprimentos,


sinto-me: pobre!

publicado por Sheila às 22:35
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 11 de Março de 2009
Premonições? Parece escrito em 2009...

"O país perdeu a inteligência e a consciência moral.
Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada,os caracteres corrompidos.
A prática da vida tem por única direcção a conveniência.
Não há princípio que não seja desmentido.
Não há instituição que não seja escarnecida.
Ninguém se respeita.
Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos

Ninguém crê na honestidade dos homens públicos.
Alguns agiotas felizes exploram.
A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria.Os serviços públicos são abandonados a uma rotina dormente.
O Estado é considerado na sua acção fiscal
como um ladrão e tratado como um inimigo.

A certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências.
Diz-se por toda a parte: o país está perdido!"

Eça de Queirós, 1871

 


sinto-me: arrepiada...
tags:

publicado por Sheila às 23:23
link do post | comentar | favorito
|

* mais sobre mim
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* Num Hospital Português...

* Comunicação

* Limites!

* Ciúmes!

* O Vestido Azul

* Mundo

* SER POBRE...

* Sete Sapatos Sujos

* Sobre pais, mães e filhos...

* Este Verão queres ser ser...

* Dalai Lama

* O "fenómeno" Jade Goody

* O insólito de hoje!

* Tendências Masculinas

* Novas Oportunidades...

* Amigo - Aluga-se!

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* Doces Miminhos
* pesquisar
 
* Doces Visitas (desde 9 MAR 2009)
Hit Counter
* Playlist


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

* Time



More Cool Stuff At POQbum.com

* Contador de Doces Refugiados
free counters
eXTReMe Tracker
* Doces Refugiados (desde 3 ABR 2009)
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!