Terça-feira, 30 de Junho de 2009
Agora percebo! LOL

 

... porque é que a batata gosta de ser frita!

 

 

É nisto que dá a minha pouca vontade de escrever...

 

  



publicado por Sheila às 01:18
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Junho de 2009
Amizades depreciativas...

 

 

As amizades são-nos tão necessárias como a água que nos sacia a sede. Podemos viver sem amores, mas nunca sem amigos!

 

No entanto é insensato pensar que a amizade é um sentimento sentido por todos, da mesma forma. O ser humano relaciona-se com os outros através da sua própria percepção, filtrando o mundo através da sua grelha de saberes, experiências e vivências anteriores. Muitas vezes na nossa vida acabamos por vivenciar amizades amargas, depressivas e muito depreciativas!

 

Estas surgem quando alguém que se sente em baixo se aproxima de nós para lhe darmos apoio. Sentimo-nos lisonjeados porque alguém reconhece em nós um psicólogo em potência, como se fôssemos mais confortáveis que o próprio sofá de um psicólogo. Passamos a seguir de perto uma certa amizade depressiva, tornamo-nos disponíveis porque sabemos que alguém precisa de nós. Ouvimos dias e dias as mesmas lamentações, passamos horas ao telefone ou até em presença a prestar atenção a confidências e até segredos sombrios... que não gostamos de descobrir, mas se não formos nós quem o fará? Por vezes, até prejudicamos outras pessoas (familiares, amigos, amores) não estando com elas para dar assistência à tal amizade depressiva. A verdade é que a amizade retribui, é capaz de fazer qualquer coisa por nós, gosta também de saber que pode dar uma certa dose de reciprocidade. No fundo, o que é a amizade, senão uma certa entre-ajuda, uma certa reciprocidade nos sentimentos e nas acções?

 

E há um momento em que aquela amizade depressiva melhora e ficamos contentes. Já não somos imprescindíveis.  Sentimos então que aquela amizade depressiva passa a uma amizade simples!

Mas e se um dia somos nós que entristecemos, sentimo-nos infelizes e precisamos de alguém? Possivelmente decidimos recorrer a quem já passou por isso. Achamos que sim, que esse alguém poderá compreender-nos, ouvir-nos, prestar a atenção que precisamos. Pensamos que as sementes de amizade que andámos a plantar tantos meses, ou mesmo anos, deram fruto e que podemos colher palavras de carinho, conforto e amizade, tempo de partilha e toda a disponibilidade que puder.

 

O problema é que muitas vezes isso não acontece. Ouvem umas vezes, mas outras nem atendem o telefone. Aparecem umas vezes e outras nem sabemos onde estão. A reciprocidade não funcionou, estão ocupados com os seus afazeres, com outras pessoas e o tempo que nos sobra é quase nenhum. Ao fim duns tempos, compreendemos que, se dependermos dessa pessoa para nos rerguermos, bem que podemos ficar lá bem no fundo do poço, concientes que estamos sozinhos e que se quisermos passar a perna à depressão, só o poderemos fazer por nós próprios. Nestes momentos a tal amizade depressiva que pensávamos ter passado a uma amizade simples, revela-se sim numa amizade depreciativa.  A vida continua e a depressão acaba sempre por passar, mas houve algo que se quebrou. Sentimos um amargo sabor de menosprezo como um pequeno fosso que já se torna difícil de se ultrapassar. Passamos a ver cada nova amizade com o olho clínico da selecção porque queremos evitar que uma situação semelhante aconteça de novo nas nossas vidas. 

 

Felizmente que as pessoas não são todas iguais e há amizades depressivas que se curam, que passam a simples (e importantes) amizades e não chegam nunca a ser depreciativas... bem pelo contrário :)! 

Tenham uma excelente semana!

 



publicado por Sheila às 00:56
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Domingo, 28 de Junho de 2009
Farrah Fawcet - Luta pela Vida...

Depois do Documentário que acabei de ver sobre a luta da Farrah Fawcet, contra um cancro do cólon, nunca mais serei a mesma pessoa...

 

 

Fácil é analisar a situação alheia e

poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e

saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.

 

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver,

sem ter medo do depois.

Amar e se entregar, e aprender a

dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência,

acenando o tempo todo,

mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas,

ao invés de ter noção das vidas dos outros.

 

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,

mas com tamanha intensidade, que se petrifica,

e nenhuma força jamais o resgata.

 

Reverência ao destino -

Carlos Drummond de Andrade

 



publicado por Sheila às 00:39
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Sexta-feira, 26 de Junho de 2009
Coração de Mãe

 

O Coração de Mãe não é só apenas um músculo que bate sem parar.

É um lugar mágico onde acontecem as mais extraordinárias das coisas...

O Coração de Mãe está ligado a cada coração de um filho por um fio fininho, quase invisível.

É por causa deste fio que tudo o que acontece aos filhos faz acontecer alguma coisa dentro do coração de mãe.

Quando os filhos dão gargalhadas, o coração de mãe até dança.

Quando um filho está triste, o coração de mãe parte-se em mil bocadinhos.

Quando um filho adoece, o coração de mãe fica às pintinhas e muito mais pequenino...

Mas o coração de mãe volta a crescer quando o filho se sente finalmente melhor!

O coração de mãe fica branco, sem pinga de sangue, quando um filho dá um grande trambolhão.

O coração de mãe congela quando um filho se perde na multidão.

Quando não compreende os filhos, o coração de mãe é como um novelo embaraçado.

No coração de mãe passa uma nuvem escura sempre que um filho é mal-educado.

O coração de mãe ganha ferrugem quando não vê um filho há muito tempo.

Mas quando chega a hora de ir buscar os filhos à escola, parece um avião a jacto!

Quando um filho diz uma piada, o coração de mãe ilumina-se...

E lá dentro abre-se uma janela, sempre que o filho aprende uma palavra nova.

O coração de mãe é um vulcão (em erupção) sempre que um filho faz um grande disparate.

Mas quando um filho precisa de ajuda é um sino que toca sem parar!

Aliás quando querem fazer mal aos seus filhos, o coração de mãe enche-se de garra e dentes afiados!

Quando chegam as férias o coração de mãe bate mais devagarinho...

Nos dias de piqueniques, o coração de mãe é um passarinho.

E há um dia em que no coração de mãe nascem flores...

quando descobre que vai nascer outro filho!

 

Afinal o coração de mãe

não é só um músculo

que bate sem parar...

É um lugar mágico

onde acontecem

as mais extraordinárias

das coisas!

 

Planeta Tangerina

Isabel Minhós Martins

Bernardo Carvalho

 



publicado por Sheila às 19:16
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Junho de 2009
Um momento cheio de alento

Ora aqui está um grande momento de alento!

 

Do baú das minhas recordações e lembranças felizes... este é sem dúvida um dos momentos que me faz sorrir de imediato, que me transporta para a fantasia e que me faz sentir que afinal não estou só, mas momentaneamente acompanhada pelas minhas memórias!

E esta foi tão boa!

 

 

... e se algum dia ficar desempregada...

talvez tenha futuro como Minnie!

Beijinhos!

 



publicado por Sheila às 02:54
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Junho de 2009
ABC dos meus alentos..

O que nos faz felizes pode às vezes ser tão pouco. Apenas um lugar ou uma determinada situação, um contacto com um determinado amigo ou a simples recordação de um momento que fica repetidamente marcado na nossa memória, na nossa vida e no nosso coração.
 
Este é o ABC dos lugares, das situações ou dos momentos que me dão alento, me deixam feliz e elevam-me a lembrança ao expoente máximo do bem estar pessoal:
 
A de andar descalça na areia a chapinhar na água do mar
B de beira-mar, ao final do dia a ver o pôr do sol
C de cama confortável, de comer cerejas e chocolate, de cheiro a mar
D de dormir muito e não ter horas para acordar
E de esplanada... junto ao mar!!
F de festejos e festas com amigos, de flores perfumadas
G de gelados de caramelo
H de horizonte, onde por vezes foco o olhar à procura de rumo
I de inícios de novas amizades
J de jantaradas animadas e divertidas entre amigos
K de Kadok, onde vivi momentos inesquecíveis
L de luz brilhante e quente do sol ao entardecer
M de mar, a sua imensidão é fonte de tranquilidade, força ou energia.
N de namorar muito, a qualquer hora... e em qualquer lugar
O de ouvir o som do mar a bater nas rochas, o vento suave a afagar-me o cabelo, o som da chuva a cair lá fora...
P de praia a ver o pôr do sol
Q de quarto, enroscada nos lençois a sentir o conforto do meu colchão de latex.
R de risadas sonoras e sentidas
S de sofá a relaxar e a ver um filme e de sardinhadas com broa de milho!
T de Torre Eiffel, um lugar mágico e com Paris a seus pés.
U de União com a minha cara metade
V de viagens e de todas as recordações que trago comigo no regresso a casa
W de WC, quando estou mesmo à rasquinha para fazer qualquer coisa que ninguém faz por mim...
X de Xarope de cenoura com açucar amarelo que o meu marido faz quando estou com tosse!
Z de zoo do início ao fim, especialmente dos espectáculos com os golfinhos e com as focas e os leões marinhos
 
 E a ti? O que te dá alento?

 



publicado por Sheila às 03:26
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Segunda-feira, 22 de Junho de 2009
... dizer adeus!

  

 

Se há coisa difícil na vida é dizer adeus!

 

Despedirmo-nos de alguém é sempre doloroso. Há algo que se perde entre os que vão e os que ficam. Uma espécie de caixa vazia onde ficam encarcerados todos os sentimentos presos a uma despedida.

Odeio despedidas! Nunca aprendo a desligar-me desses momentos e sem querer vivo-os dias ou horas antes de realmente acontecerem. Talvez a opção seja não manter o contacto visual muito tempo. Dar um último beijo com o coração de fugida e suster aquela maldita saudade que dá ligação directa às lágrimas... mortinhas por sair.

 

E hoje foi assim... ele ia de viagem. Chegou o momento da despedida. Esta custava mais que todas as outras. Estava abraçada a ele, num envolvimento forte e intenso. Mais um beijo e o evitar pensar que estava mesmo acontecer... evitar pensar nos longos 5 dias que se seguem... evitar pensar que talvez se abraçar mais forte ele não tenha que ir!

 

Ele olhou-me olhos nos olhos, abraçou-me, beijou-me muito e sussurrou-me palavras de amor. Eu falei do presente... que tudo vai valer a pena... que tudo vai correr bem mas por momento algum consegui parar de pensar, de me projectar nos próximos dias sem ele... sem o seu corpo... sem o seu abraço do qual queria fugir e ao mesmo tempo refugiar-me para sempre...

 

Chegou a hora. Um último beijo. Um virar as costas. O entrar no carro. Um último Amo-te Muito, num articular de lábios. Um último aceno de adeus. Ainda olhou para trás.

De olhos secos, alma lacrimejante, vi-o a partir... mas não lhe disse adeus, apenas um Até mais logo!

 

Talvez o que custa numa despedida é o receio de uma ultima visão, de um último abraço, de um último beijo, de um último sorriso, de um último acenar antes da partida e depois ter de viver com esse vazio que custa muito a preencher e me deixa um amargo sentimento de solidão.

 

“Que o breve

seja de um longo pensar

Que o longo

seja de um curto sentir

Que tudo seja leve

de tal forma

que o tempo nunca leve”

 

Alice Ruiz

 



publicado por Sheila às 00:20
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Domingo, 21 de Junho de 2009
Comunicação

 

"Na comunicação, o mais complicado nem é a mensagem nem a própria técnica, é principalmente o receptor. Hoje em dia, parece ser cada vez mais complicado conversar porque um sim, pode ser um talvez; um talvez um não ; um não uma incerteza…

 

Parece que as pessoas se escondem por trás das palavras, que falam cheias de reservas mentais e que a espontaneidade está a tornar-se uma qualidade em vias de extinção. Parece que a sinceridade e a franqueza estão a dar lugar a uma pseudo-diplomacia a que dou o nome de hipocrisia. Parece que se faz aquilo que é politicamente correcto, mesmo que esteja contra os próprios valores e princípios morais. Parece que o diálogo já não cria pontes entre as pessoas, mas apenas muros… e é pena."

 



publicado por Sheila às 03:05
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|

Sexta-feira, 19 de Junho de 2009
Coisas que só uma mãe sabe ensinar...

A minha mãe ensinou-me sobre antecipação:

"Espera só até o teu pai chegar em casa."

 

A minha mãe ensinou-me a dar valor ao trabalho dos outros:

"Se vocês se querem matar, vão lá para fora porque eu acabei de limpar a sala"

 

A minha mãe ensinou-me a ter fé:

"É melhor rezares para que esta mancha saia do tapete!"

 

A minha mãe ensinou-me lógica e hierarquia:

"Porque eu estou a mandar... E ponto final!"

 

A minha mãe ensinou-me ironia:

"Continua a chorar que eu vou-te dar uma razão verdadeira para chorares a sério!"

 

A minha mãe ensinou-me sobre saber esperar:

"Calma! Quando chegarmos a casa falamos..."

 

A minha mãe ensinou-me a enfrentar desafios:

"Olha para mim e responde-me quando eu te pergunto! "

 

A minha mãe ensinou-me sobre lógica:

"Se caíres dessa árvore, vais partir o pescoço e não poderás ir aos anos da tua prima."

 

A minha mãe ensinou-me como ser um adulto:

"Se não comeres legumes, vais ficar baixinho para sempre!"

 

A minha mãe ensinou-me genética:

"És igualzinha (o) ao teu pai!"

 

A minha mãe ensinou-me sobre as minhas raízes:

"Pensas que nasceste numa familia rica, é?"

 

E também me ensinou o mais importante!

 

A minha mãe ensinou-me sobre justiça:

"Um dia terás filhos, e eu espero que eles sejam iguais a ti! Aí vais ver o que é bom!"

 

Obrigado Mãe!

 

 



publicado por Sheila às 23:21
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Quinta-feira, 18 de Junho de 2009
Miminhossss Bons oba!

Ah pois é ... e porque tristezas não pagam dívidas, e porque me recuso a ficar chateada com o que (ou quem) não merece, eis que tou bem disposta  e tão orgulhosa dos miminhos que me dão...

 

A minha fofusca amiga Just Moments ofereceu-me este miminho tão lindo!

 

 

É lindo minha querida :)

Obrigado doçura!

 

E as regras são:

1- Mencionar a pessoa que me ofereceu o prémio.

2- Completar a seguinte frase:

Eu sou a luz e quero iluminar..." a tua essência neste momento presente! "

3- Passar o selo a 5 blogues

que se considere de luz,

avisando-os da oferta.

 

Não consigo passar apenas 5, mas a todos

aqueles que acompanho frequentemente e de quem 

gosto mesmo muito de visitar

(mesmo não deixando o meu coment diário porque

o tempo nem sempre o permite :))

 

E este miminho dedico a:

 

MIGUXA

Blue Eyes

100timento

darklady

Joana

A Três Mãos

cuidandodemim

miúda

 Estrela

azuldoceu

tn

fairyland

Infinito e Mais Al...

pingodemel

jangadadecanela

green.eyes

Sorrisoduplo

@ Madrinha

Sugar

sonhandoaosquarent...

Emília

 

Mas há mais!

E muito feliz me deixou também este Miminho

que me foi oferecido, via sms,

pela minha cara metade!

 

 

 

E este é só MEU!

 

Ti amo, meu Fofusco :)


tags:

publicado por Sheila às 02:21
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|

Quarta-feira, 17 de Junho de 2009
Haja paciência... e venha alguma paz de espírito!

E hoje que não está a ser um dia particularmente fácil ou agradável, sinto vontade de me abstrair nesta música, que me transmite calma e paz! É incrível o poder que a música tem em nós, de facto!

E o meu problema não é romântico como retrata a música, apenas mais uma desilusão de "amizade" para juntar à colecção que a vida teima em impor!

 

Enjoy!

 

 

 

"Something always brings me back to you.

It never takes too long.
No matter what I say or do

I'll still feel you here 'til the moment I'm gone.
You hold me without touch.

You keep me without chains.
I never wanted anything so much than to drown

in your love and not feel your rain.

Set me free, leave me be.
I don't want to fall another moment into your gravity.
Here I am and I stand so tall,

just the way I'm supposed to be.
But you're on to me and all over me.

You loved me 'cause I'm fragile.

When I thought that I was strong.
But you touch me for a little while and all my fragile strength is gone.

Set me free, leave me be.
I don't want to fall another moment into your gravity.
Here I am and I stand so tall,

just the way I'm supposed to be.
But you're on to me and all over me.

I live here on my knees as I try to make you see that you're
everything I think I need here on the ground.
But you're neither friend nor foe though I can't seem to let you go.
The one thing that I still know is that you're keeping me down.
You’re on to me, you’re on to me and all over...
Something always brings me back to you.

It never takes too long."

 

 



publicado por Sheila às 15:46
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Desafio - 33 perguntas

E porque gosto de desafios, e porque a minha amiga darklady me desafiou :), aqui ficam as minhas respostas

 

1. Nome? Sheila

2. Porque lhe deram esse nome?

O meu nome é fruto da minha mãe ter vivido alguns anos em Londres e da melhor amiga que fez em UK se chamar Sheila.

3. Você faz pedidos às estrelas?

Não, acredito que consigo atingir os meus objectivos by my own!

4. Quando foi a última vez que você chorou?

Ontem, pelas mudanças que se avizinham nas próximas semanas! Gosto chorar, liberta-me! 

5. Gosta da sua letra?

Claro que sim! 

6. Gosta de pão com o quê?

Com  

7. Quantos filhos você tem?

 uma 

8. Se você fosse outra pessoa, seria seu amigo?

 Oh yes! 

9. Saltaria de bungee-jump?

No way! Só tenho adrenalina para velocidades!

10. Desamarra os sapatos antes de tirá-los?

nem por isso

11. Acreditas que és uma pessoa forte?

Depende da situação. Acredito que preciso de “mentalizar” a minha força interior em algumas situações mais críticas. 

12. Gelado favorito?

Os de sabor a caramelo 

13. Vermelho ou Preto?

Ambos. Preto mais no Inverno, vermelho no Verão

14. O que menos gostas em ti?

Do nariz

15. O que mais gostas em ti?

Do cabelo

16. De quem você sente saudades?

De um excelente amigo que perdi há 7 anos atrás

17. Descreva que roupa e calçado está a usar agora?

Calças de jogging, polar quechua azul clarinho e chinelos de dedo

18. Qual foi a última coisa que comeu hoje?

 Esta já era...  

19. O que você está escutando agora?

Coldplay 

20. A última pessoa com quem falou ao telefone?

Com o meu chefe

21. Bebida favorita?

Coca cola e sumol de ananás

22. Comida?

Todos os mariscos,  e adoro polvo

23. Último filme que viu no cinema e com quem?

 não me lembro de qual já, mas foi um infantil com a minha filha

24. Dia favorito do ano?

O 1º dia de férias em Agosto, em que tenho 3 semanas dolce fare niente pela frente!

25. Inverno ou verão?

Sem dúvida VERÃO (sol, praia, biquini, t-shirts, chinelos... há lá coisa melhor na vida!)

26. Beijos ou abraços? 

A conjugação dos dois parace-me o ideal!

27. Sobremesa favorita?

Pudim Molotof regado com caramelo liquido

28. Que livro está a ler?

"Vai valer a pena "

29. O que tem na parede do seu quarto?

Um espelho

30. Filmes favoritos?

filmes de ficção ciêntifica, comédias

31. Onde foi o lugar mais longe que você foi?

Inglaterra

32. Uma música?

The Story – Brandi Carlile

33. Uma frase?

Por cada minuto que passamos tristes, perdemos 60 felizes segundos! :)

 

E passo este desafio a 8 amigas:

Joana

MIGUXA

A Três Mãos

cuidandodemim

Estrela

green.eyes

Sugar

Emilia (http://comecardenovopt.blogspot.com/)


tags:

publicado por Sheila às 01:47
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

Terça-feira, 16 de Junho de 2009
Cultura: origem de algumas expressões populares...

CALCANHAR DE AQUILES
De acordo com a mitologia grega, Tétis, mãe de Aquiles, a fim de tornar o seu filho indestrutível, mergulhou-o num lago mágico, segurando-o pelo calcanhar. Na Guerra de Tróia, Aquiles foi atingido na única parte do seu corpo que não tinha protecção: o calcanhar. Portanto, o ponto fraco de uma pessoa é conhecido como calcanhar de Aquiles

 

CONTO DO VIGÁRIO
Duas igrejas de Ouro Preto receberam uma imagem de uma santa como presente. Para decidir qual das duas ficaria com a escultura, os vigários contariam com a ajuda de Deus, ou melhor, de um burro. A situação era a seguinte: colocavam o burro entre as duas paróquias e o animalzinho teria que caminhar até uma delas. A escolhida pelo quadrúpede ficaria com a santa. E foi isso que aconteceu, só que, mais tarde, descobriram que um dos vigários tinha treinado o burro. E foi assim que conto do vigário passou a ser sinónimo de falcatrua.

 

FICAR A VER NAVIOS
Dom Sebastião, Rei de Portugal, tinha morrido na batalha de Alcácer-Quibir, mas o seu corpo nunca foi encontrado. Por esse motivo, o povo português recusava-se a acreditar na morte do monarca. Era comum as pessoas visitarem o Alto de Santa Catarina, em Lisboa, para esperar pelo rei. Como ele não voltou, o povo ficava a ver navios.
 

DOURAR A PÍLULA
Antigamente as farmácias embrulhavam as pílulas em papel dourado, para melhorar o aspecto do remedinho amargo. A expressão dourar a pílula, significa melhorar a aparência de algo.

CHEGAR DE MÃOS A ABANAR
Há muito tempo, no Brasil, era comum exigir que os imigrantes que chegassem para trabalhar nas terras trouxessem as suas próprias ferramentas. Caso viessem de mãos vazias, era sinal de que não estavam dispostos ao trabalho. Portanto, chegar de mãos abanar é não carregar nada.

SEM EIRA NEM BEIRA
Os telhados de antigamente possuíam eira e beira, detalhes que conferiam status ao dono do imóvel. Possuir eira e beira era sinal de riqueza e de cultura. Não ter eira nem beira significa que a pessoa é pobre.

O CANTO DO CISNE
Dizia-se que o cisne emitia um belíssimo canto pouco antes de morrer. A expressão canto do cisne representa as últimas realizações de alguém.

ESTÔMAGO DE AVESTRUZ
Define aquele que come de tudo. O estômago do avestruz é dotado de um suco gástrico capaz de dissolver até metais.

LÁGRIMAS DE CROCODILO
É uma expressão usada para se referir ao choro fingido. O crocodilo, quando ingere um alimento, faz forte pressão contra o céu da boca, comprimindo as glândulas lacrimais. Assim, ele chora enquanto devora a vítima.

MEMÓRIA DE ELEFANTE
O elefante lembra-se de tudo aquilo que aprende, por isso é uma das principais atracções do circo. Diz-se que as pessoas que se recordam de tudo tem memória de elefante.

OLHOS DE LINCE
Ter olhos de lince significa "enxergar" longe, uma vez que esses bichos têm a visão apuradíssima. Os antigos acreditavam que o lince podia ver através das paredes.

 



publicado por Sheila às 00:38
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
|

Domingo, 14 de Junho de 2009
É hora de brilhar!

 

E cá estou eu de regresso a este meu doce refúgio :)

Melhor que as mini-férias foi termos recebido a noticia que o meu marido tinha sido o escolhido para uma posição muito boa numa conceituada empresa em Lisboa.

Salamanca acolheu-nos doce e calorosamente e proporcionou-nos momentos de imensa cultura, excelentes passeios e de uma perfeita e doce sintonia...

Regressámos com o sabor de uns dias bem passados (prometo fazer um post sobre Salamanca e publicar as fotos muito brevemente) e com a vontade de olhar de frente para o futuro.

A partir de amanhã renascem sonhos, novos desafios se adivinham e a força de viver volta a ser rainha!

 

Para ti meu amor o meu desejo que amanhã inicies esta nova etapa da tua vida em pleno.

Nunca te esqueças que todos nós trazemos connosco estrelas que a vida nos concede.

Estrelas de brilhar, estrelas de crescer.

Estrelas de encontrar o caminho do sonho que se persegue.

Saber reconhecer os brilhos e as estrelas é o nosso destino.

Brilhar é acreditar na força que as estrelas têm.

Que leves as estrelas no teu coração e que te ajudem a iluminar o caminho deste novo desafio!

Não te esqueças de viver com os 3 E's que brilham das Estrelas: Energia, Entusiasmo e Empatia. 

O amanhã nasce do que tu sonhas hoje!

 



publicado por Sheila às 23:51
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Junho de 2009
Para Reflectir...

 

Durante um seminário para casais, perguntaram a uma das esposas:

- "O Seu marido fá-la feliz? Ele fá-la feliz de verdade?"

Neste momento, o marido levantou o seu pescoço, demonstrando total segurança.

Ele sabia que a sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia reclamado de algo durante o casamento. Todavia, a sua esposa respondeu à pergunta com um sonoro "NÃO", daqueles bem redondos!

- "Não, o meu marido não me faz feliz"!

(Neste momento o marido já procurava a porta de saída mais próxima).

- "O meu marido nunca me fez feliz e não me faz feliz! Eu sou feliz". E continuou:

"O facto de eu ser feliz ou não, não depende dele e sim de mim. Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade. Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha vida, pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou circunstância sobre a face da Terra, eu estaria com sérios problemas!

Tudo o que existe nesta vida muda constantemente: o ser humano, as riquezas, o meu corpo, o clima, o meu chefe, os prazeres, os amigos, a minha saúde física e mental. E assim eu poderia citar uma lista interminável.

Eu decido ser feliz! Se tenho hoje a minha casa vazia ou cheia: sou feliz! Se vou sair acompanhada ou sozinha: sou feliz! Se meu emprego é bem remunerado ou não: eu sou feliz! Sou casada mas era feliz quando estava solteira. Eu sou feliz por mim mesma.

As demais coisas, pessoas, momentos ou situações eu chamo de "experiências que podem ou não proporcionar-me momentos de alegria e tristeza”. Quando alguém que eu amo morre, eu sou uma pessoa feliz num momento inevitável de tristeza. Aprendo com as experiências passageiras e vivo as que são eternas como amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar, consolar.

Há pessoas que dizem: hoje não posso ser feliz porque estou doente, porque não tenho dinheiro, porque faz muito calor, porque alguém me insultou, porque alguém deixou de me amar, porque eu não me soube  dar valor, porque o meu marido não é como eu esperava, porque os meus filhos não me fazem feliz, porque os meus amigos não me fazem feliz, porque o meu emprego é medíocre e por aí fora.

Amo a vida que tenho mas não porque a minha vida é mais fácil do que a dos outros. É porque eu decidi ser feliz como indivíduo e me responsabilizo pela minha felicidade. Quando eu tiro essa obrigação do meu marido e de qualquer outra pessoa, deixo-os livres do peso de me carregar nos ombros. A vida de todos fica muito mais leve. E é dessa forma que consegui um casamento bem sucedido ao longo de tantos anos.

Nunca deixes nas mãos de ninguém uma responsabilidade tão grande quanto a de assumir e promover a tua felicidade!

SÊ FELIZ, mesmo que faça calor, mesmo que estejas doente, mesmo que não tenhas dinheiro, mesmo que alguém te tenha machucado, mesmo que alguém não te ame ou não te dê o devido valor.

Pede apenas a Deus que te dê serenidade para aceitar as coisas que tu não podes mudar, coragem para modificar aquelas que podem ser mudadas e sabedoria para conseguir reconhecer a diferença que existe entre elas.

NÃO REFLITAS, APENAS!

MUDA! E SÊ FELIZ! :-)

 

Até ao meu regresso... e até lá façam o favor de serem FELIZES, de terem momentos felizes e de irradiarem energias positivas à vossa volta!  

 



publicado por Sheila às 00:53
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

Terça-feira, 9 de Junho de 2009
Doce Refúgio

 

"Doce Refúgio

Sonequinha

Tu és meu refúgio

Meu alento...

Nos momentos menos bons...

Tu és a paz,

Para uma alma sem rumo...

Tu és vida

Tu és amor

Tu és minha paixão!

Minha consolação,

Minha luz na escuridão.

Tu és a verdade,

O caminho sem espinhos.

Tu és só carinho!

O sentimento que preciso!

Tu me mimas,

Me dás colo,

No teu ombro choro.

Tenho tanto amor por ti!

Tu fazes de tudo por mim!

Tu és meu mundo, meu tudo.

Tu és meu amor,

Tu és minha paixão.

Que tanto amo, amo...

Tu estás bem dentro do meu coração!

Vem sempre amar... vem...

Estou sempre a desejar,

Vem me querer

que sempre eu te vou querer.

A meu amor, amor, amor...

Como amo amar você!

Você é meu tudo,

Meu ar, meu amor, meu amigo.

É meu Doce Refúgio"

 



publicado por Sheila às 01:12
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|

Segunda-feira, 8 de Junho de 2009
Para alguém muito especial na minha vida!

 

Conheço-a desde os meus 5 anos.

Brincámos dias inteiros juntas.

Estivemos doentes juntas.

Tornámo-nos adolescentes juntas.

Crescemos juntas.

Tivemos os primeiros namorados.

Estudámos.

Iniciámo-nos no mundo laboral.

Sempre juntas.

Vivemos muito perto uma da outra.

É aquela pessoa a quem ligo a qualquer hora.

Ela faz o mesmo comigo.

Sempre que tenho alguma dificuldade,

ou algo que me preocupa, ela acompanha-me sempre.

É o meu número de emergência. Eu também sou o dela..

Somos amigas há 30 anos!

Já tivemos divergências de opiniões.

Mas nunca nos chateámos.

Entendemo-nos como ninguém.

Estamos sempre disponíveis uma para a outra.

Ela é a minha melhor amiga.

Vejo-a como uma irmã

e ela também me vê como uma mana

porque é esse o sentimento que nos une

Apesar de não sermos irmãs de sangue

Somos irmãs de coração,

do mais puro e genuíno amor

que pode existir!

 

Hoje é o seu Aniversário!

Parabéns, minha querida Mana!

Que tenhas um dia Muito Feliz!

 

 

 



publicado por Sheila às 01:12
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|

Domingo, 7 de Junho de 2009
Miminho J' Adore tien blog

Que mimo mai' lindo que recebi das minhas queridas amigas:

Just Moments, Estrela, Darklady, Miguxa e Emília

Obrigada minhas queridas :)

o selinho é mesmo muito fofo

e fico contente por gostarem do meu blog!

 

O desafio consiste em:

  1. Colocar o selo no blog
  2. Divulgar as regras
  3. Confessar cinco coisas que gosto de fazer
  4. Indicar 10 blogs a quem se envia o convite
  5. Informar cada um dos blogs 

As duas primeiras regras estão assim cumpridas :)

  

3º E cinco coisas que eu adoro fazer são...

  • Adoro ler
  • Adoro os momentos intensos com a minha familia e com os meus amigos
  • Adoro passear, conhecer novos sitios, novas pessoas, novas culturas e acima de tudo mudar de ares e contrariar a rotina!
  • Adoro o cheiro da praia e adoro contemplar o mar
  • Adoro dormir e ter sonhos doces

4º E os 10 blogs que eu adoro visitar são:

 

Blue Eyes

Joana

A Três Mãos

miúda

tn

Infinito e Mais Al...

jangadadecanela

green.eyes

Monik@

pingodemel


 Também quero retribuí-lo às minhas queridas amigas

Just Moments, Estrela, Darklady, Miguxa e Emília

E dizer-lhes que também eu ADORO os BLOGs delas.



publicado por Sheila às 15:50
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|

Sexta-feira, 5 de Junho de 2009
Egocentrismos na Amizade???

 

 

Não quero acreditar... mas dou-me conta que há em certas relações de amizade jogos de poder e submissão!  Não posso deixar de pensar que este tipo de jogos só podem ser particularmente excitantes para quem é egocêntrico! É que só pode! À luz do egocentrismo deve haver um certo frisson em caçar mas não deixar-se caçar... em querer dominar sem nunca se submeter... em ser-se uma espécie de adorado mas evitando idolatrar o outro... uma espécie de hierarquia de poderes, mas só para o lado de quem é egocêntrico, de quem acha que deve comandar os amigos a seu belo prazer!

Comigo, uma relação só pode funcionar havendo igualdade! Ora decido eu, ora decidem os amigos; ora cedo eu, ora cedem os amigos.. ou decidimos e cedemos em conjunto! Nunca serei totalmente submissa nem dominadora.

Para mim é impensável competir por amizade. Simplesmente acho que não faz sentido. Na amizade não se deveria competir nunca! A amizade não é um livro com folhas brancas que vão sendo preenchidas e que se sucedem umas após as outras porque os amigos das primeiras páginas não têm que ter mais significado, até porque nem sempre ficam para trás e os das últimas páginas, só por serem mais recentes não se podem comparar aos amigos mais antigos, até porque nem sempre permanecem até ao final do livro.

O nosso coração pode albergar todo o tipo de afectos, de vários tamanhos e de consistências diversas. É como se fosse um ficheiro gigantesco ilimitado, não reprimido por X gigas de armazenamento. Cada amigo está na sua respectiva pasta, podendo-se fazer copy paste de determinados ficheiros de umas pastas para as outras. Outros ficam incólumes bem resguardados. Todos têm o seu significado nas nossas vidas. Não é preciso haver competição entre sentimentos e afectos. Ninguém pode dizer que fez delete a um afecto ou que o colocou na reciclagem para ser destruido. Os afectos não passam por nós como as nuvens no céu sem se fixarem no céu. O nosso eu é a construção de todas as pessoas que nos influenciaram, de todas as nossas aprendizagens e de todos os afectos que tocaram a nossa mente. Mesmo que uma amizade tenha deixado grandes mágoas e uma certa desilusão, houve sempre algo que nos fez florescer em algum momento anterior.

Ninguém também pode dizer que a sua vida gira à volta de um só afecto, como se todas as outras pastas pessoais não existissem. Não há nada de mais destructivo numa amizade que torná-la exclusiva, ficar dependente dela e afastar tudo o resto. Uma amizade não pode ser aprisionada. Como podemos saber se o afecto de alguém é real, se está preso? A única forma de saber que alguém gosta de nós verdadeiramente é correr o risco de lhe dar a liberdade de partir para poder regressar.

Agora, lutar? Não compreendo. Não o devemos fazer porque os afectos não se forçam. Não devemos provar nada aos outros nem que somos melhores, nem que somos imprescindíveis, nem que somos a resposta às suas dúvidas. Se o outro não sabe se nos ama, não é lutando por ele que vai ter certezas. Se o outro está indeciso entre este ou outro afecto, não é competindo com um terceiro que vai tomar alguma atitude. E, finalmente, se quis deixar de ser amigo, lutar pode já não adiantar porque a amizade não é nenhuma luz intermitente, e que se colmata com a substituição de uma lâmpada nova.

 

Egocentrismos na amizade? Não, obrigado!

 



publicado por Sheila às 19:10
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
|

Quinta-feira, 4 de Junho de 2009
A Generosidade

 

 

A generosidade é uma qualidade que está a cair em desuso. Cada vez mais as pessoas raramente dão alguma coisa sem esperar nada em troca.

Confesso que nunca gostei da fábula “da cigarra e da formiga” de Jean de la Fontaine, e em pequena sempre tive a ideia que a formiga exagerava na sua labuta. Olhando hoje para a fábula, considero que a sua moral até é bastante actual, pois retrata uma certa avareza e mesquinhez presentes nas sociedades ocidentais do século XXI. Sem dúvida que nos devemos precaver para o futuro, não gastar o que temos e o que não temos, i.e. que devemos poupar hoje para futuros problemas que possam surgir, mas também não é preciso fazer disso cavalo de batalha e esquecer que o resto do mundo existe, até porque é meio caminho andado para não se viver plenamente o presente!

A generosidade está intimamente ligada à compaixão, algo bem diferente da piedade costumeira. Compaixão é estar atento aos problemas e ao sofrimento dos outros e estar disponível para ajudar, encontrar soluções. Piedade é fingir que se lamenta, às vezes, até se dando uma moedita, e depois segue-se em frente sem nunca mais se lembrar do sucedido.

As pessoas generosas têm disponibilidade efectiva e afectiva. Mesmo carregadas de problemas, de tarefas por fazer, arranjam sempre um tempinho para ouvir, fazem o possível e o impossível para estarem presentes, abdicando até, por vezes, de coisas suas.

Generosidade não é sinónimo de prenda. Há quem encha os outros de coisas, compensando a falta de afecto com prendas caras. Não é preciso comprar nada a quem precisa de amor. Por vezes basta apenas a simples presença, o acompanhamento, um par de ouvidos atentos, um sorriso, um olhar ou um abraço sentido.

Uma pessoa generosa está atenta a quem anda descalço e é capaz de dar um par de sapatos novos que tem no armário; repara que alguém passa fome e vai à despensa para ver o que pode dar. Uma pessoa generosa dá sem esperar retribuição. Sabe que há quem nunca tenha hipótese de devolver a ajuda e que outros simplesmente esquecerão depressa quem lhes deu a mão. Dá mesmo assim, porque é da sua natureza partilhar.

A generosidade alimenta-se do afecto e do amor porque quem ama dá mais do que recebe, em qualquer circunstância…

 



publicado por Sheila às 13:32
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
|

* mais sobre mim
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!
* Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


* posts recentes

* Cats Love

* O que procuramos?

* Querida Cátia :)

* Há coisas que nos passam ...

* Estou uma lamechas...

* Há dias como o de hoje…

* Delicia :)

* 4 meses e meio :)

* Tiroidectomia Total – 2 m...

* Tiroidectomia Total

* Vida

* Adoro...

* Imprescindível...

* Amar...

* Espera...

* Arrependimentos...

* arquivos

* Maio 2013

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Agosto 2011

* Julho 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* tags

* todas as tags

* favoritos

* Chocolate

* Destino

* FoodScapes - Absolutament...

* O tempo voa...

* Escrever a Vida em Capítu...

* Afastamentos

* As Surpresas da Vida

* Momentos de Ternura

* A força da nossa vitória

* Orgasmo da Vida

* links
* Doces Miminhos
* pesquisar
 
* Doces Visitas (desde 9 MAR 2009)
Hit Counter
* Playlist


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

* Time



More Cool Stuff At POQbum.com

* Contador de Doces Refugiados
free counters
eXTReMe Tracker
* Doces Refugiados (desde 3 ABR 2009)
Vamos concretizar um sonho! Vota Luís Pingu Monteiro!